Chuvas que alagaram São Paulo não afetam Cantareira, que volta a ter queda

Por iG São Paulo * | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Precipitação com a qual governo contava para amenizar crise hídrica tem sido baixa neste início da temporada de chuvas

As chuvas dos últimos dois dias levaram o caos a diversas regiões da Grande São Paulo. No entanto, apesar dos alagamentos que transformaram ruas e avenidas em rios de fortes correntezas, o Sistema Cantareira, principal conjunto de reservatórios a abastecer a região, voltou a registrar queda nesta sexta-feira (12), chegando a 7,5% de sua capacidade – incluindo a segunda cota da reserva técnica, também conhecida como "volume morto". 

Douglas Pingituro/Futura Press
Carros são arrastados por temporal em avenida na zona sul da capital paulista, na quinta-feira

Foram dois dias seguidos de estabilidade, de acordo com dados da própria Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), responsável pela gerência de recursos dos reservatórios. Tanto na quarta (10) quanto na quinta-feira (11) os índices estiveram pouco acima dos 7,6%. Na região do Cantareira choveu apenas 5,3 mm em dezembro – mês que faz parte da temporada de chuvas no Sudeste, com média de precipitação de 220,9 mm.

Leia mais:
Especialistas alertam: chuva será insuficiente para recuperar Cantareira
Situação do Sistema Cantareira é "sensível", diz ministra Izabella Teixeira
Funcionários da Sabesp são ameaçados por moradores em bairros onde falta água
Ex-presidente da Sabesp releva dados e elogia gestão da crise: "Case de sucesso"
Sabesp vai bombear menos água do Cantareira em dezembro

Os outros sistemas que abastecem São Paulo também apresentaram queda nesta sexta. Em 24 horas, o Alto Tietê passou de 4,4%  para 4,2%. As chuvas sobre os seus reservatórios foi fraca, de 1,1 milímetro (mm) na quinta-feira. No Guarapiranga houve alta, indo de 31,5% 32,2%. Nele, a precipitação foi mais significativa no mês: 25,6 mm.

Na capital paulista, a chuva caiu com força em grande parte da cidade na quinta. De acordo com o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE) da Prefeitura, entraram em estado de atenção as regiões oeste, sudeste e sul da cidade. O bairro do Butantã entrou em estado de alerta, com o transbordamento de um córrego nas proximidades da Rodovia Raposo Tavares. Também por ali, houve alagamentos em Cotia, Osasco e Carapicuíba.

O CGE informou que nos próximos dias ocorrerão chuvas em volume significativo na cidade e também nas regiões onde estão localizados os sistemas de abastecimento de água. No fim de semana, uma frente fria que fica sobre o oceano, no litoral sul do País, avança lentamente em direção a São Paulo. O vento quente e úmido da região amazônica também entra no leste paulista, favorecendo a formação de nuvens e chuvas mais consistentes.

No sábado (13), as temperaturas variam de 19ºC a 24ºC. Os índices de umidade relativa do ar ficam entre 60% e 90%. Não há previsão de chuva para o início da próxima semana.

*Com Agência Brasil

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas