Segundo definição conjunta, o volume de retirada baixou de 39 milhões de metros cúbicos para 30 milhões de metros cúbicos

Agência Brasil

A Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) terá de reduzir ao longo de dezembro a retirada de água do Sistema Cantareira, o principal manancial para o abastecimento da região metropolitana de São Paulo, independentemente da quantidade de chuva que possa se acumular nesse período.

Dia 1: Sistema Cantareira continua em queda e registra 8,7%

Leia: Em meio à crise hídrica, São Paulo usará esgoto tratado no abastecimento

Segundo definição conjunta da Agência Nacional de Águas (Ana) e do Departamento de Águas e Energia Elétrica (Daee), o volume de retirada baixou de 39 milhões de metros cúbicos para 30 milhões de metros cúbicos, o equivalente a 30 bilhões de litros.

A medida faz parte de um acordo fechado, no último dia 17 de novembro, em que, mensalmente, os dois órgãos avaliarão o uso da segunda cota do chamado volume morto ou reserva técnica, que é a água bombeada abaixo da captação por gravidade.

O mesmo critério é seguido no caso das bacias dos rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí (PCJ).

A determinação encaminhada ao presidente do Comitê das Bacias Hidrográficas dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí, Gabriel dos Santos, informa que a Ana e o Daee concordaram diminuir de quatro para três metros cúbicos por segundo a liberação de água dos reservatórios para os rios da região.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.