Governo de SP diz que vai criar comissão de combate a ataques a ônibus

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Secretaria de Segurança Pública pretende reunir as Polícias Civil e Militar, sindicatos, empresários e órgãos da Prefeitura de São Paulo – onde, só em 2014, 119 ônibus foram queimados

A Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo (SSP-SP) anunciou, nesta quarta-feira (5), a criação de uma comissão com o objetivo de combater os ataques a ônibus na unidade federativa – com especial foco na capital paulista, onde, só em 2014, 119 veículos do tipo foram incendiados e destruídos.

Bombeiros tentam controlar chamas em ônibus incendiado no Jardim Rodolfo Pirani, zona leste de São Paulo, na madrugada de 28 de setembro; veja outros casos na capital. Foto: Edison Temoteo/Futura PressUm dos dois ônibus incendiados na Rodovia Raposo Tavares, na capital paulista, na noite de 10 de setembro. Foto: Nivaldo Lima/Futura PressÔnibus vira sucata após ter sido incendiado por grupo na Rodovia Raposo Tavares. Foto: Nivaldo Lima/Futura PressÔnibus em chamas na zona leste de São Paulo na madrugada do dia 6 de agosto. Foto: Edison Temoteo/Futura PressÔnibus incendiado na rua Tiburcio de Sousa, no Itaim Paulista, zona leste de São Paulo, SP, na noite do dia 9 de julho. Foto: Edison Temoteo/Futura PressÔnibus é incendiado na Avenida Yervant Kissajikian, em Americanópolis. Foto: Marcelo Camargo/Futura PressÔnibus incendiado na rua Olho D´água do Borges, na zona leste de São Paulo, no dia 15 de junho. Foto: Rogerio Cavalheiro/Futura Press

 O anúncio vem no dia em que motoristas e cobradores da Região Metropolitana realizaram uma paralisação de cerca de duas horas exigindo por mais segurança nos coletivos. Há duas semanas, o condutor de ônibus John Carlos Soares Brandão morreu dias depois de ter 80% do corpo queimado quando criminosos incendiaram o veículo que conduzia, no Parque São Domingos, na zona oeste paulistana.

Leia mais:
Neste ano, três ônibus são incendiados por semana em SP; 63% mais que em 2013

O plano da SSP é unir no mesmo grupo as Polícias Civil e Militar, representantes dos sindicatos dos trabalhadores e empresários, além da São Paulo Transporte (SPTrans) e da Guarda Civil Metropolitana, da Prefeitura.

Ainda segundo a secretaria, há duas semanas foi implantada uma nova política para enfrentar ataques a ônibus na capital, que já teria identificado como principal fator para os crimes a morte de suspeitos em ações policiais. 

"A Polícia Militar tem atuado na prevenção, com operações de saturação nas áreas onde ocorrem as mortes decorrentes de confrontos, utilizando elevado efetivo policial", diz nota da secretaria.

Leia também:
Ônibus voltam a circular após protesto de motoristas e cobradores

"O objetivo é evitar a ação de criminosos, que incendeiam ônibus, alegando ser um protesto. Para reforçar o trabalho de investigação, os Distritos Policiais das áreas onde têm ocorrido ataques estão sendo auxiliados por dois departamentos especializados da Polícia Civil: o DEIC (Departamento Estadual de Investigações Criminais) e o Denarc (Departamento Estadual de Prevenção e Repressão ao Narcotráfico)."

No total, 134 suspeitos de praticar os crimes neste ano foram identificados – dos quais 54, presos. Um deles é Lucas Mateus da Silva, 18 anos, responsável pela morte do motorista de 40 anos no último dia 23 de outubro. 

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas