Condomínios tentam parceria com Sabesp para criar poços artesianos em SP

Por Beatriz Atihe - iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Construção dos poços custa cerca de R$ 20 mil. Síndicos estão sendo orientados a pedir colaboração dos condôminos

O Sindicato dos Condomínios do Estado de São Paulo com a Associação de Síndicos e Sub-síndicos (ASSCOESP) está tentando negociar com a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) uma parceria para construir poços artesianos nos condomínios, devido à crise hídrica.

Leia também: 
Justiça libera uso da 2ª cota do volume morto do Sistema Cantareira
Após nova queda no Cantareira, São Paulo estuda ampliar bônus na conta

Represa do Jaguari, na cidade de Vargem, em setembro; veja mais imagens da situação dos reservatórios do Sistema Cantareira. Foto: Luiz Augusto Daidone/Prefeitura de VargemRepresa do Jaguari, na cidade de Vargem, em foto de setembro. Foto: Luiz Augusto Daidone/Prefeitura de VargemRepresa do Jaguari, na cidade de Vargem, em foto de setembro. Foto: Luiz Augusto Daidone/Prefeitura de VargemObras do Sistema Cantareira no segundo volume morto. Foto: Futura PressObras do Sistema Cantareira no segundo volume morto. Foto: Futura PressObras do Sistema Cantareira no segundo volume morto. Foto: Futura PressObras do Sistema Cantareira no segundo volume morto. Foto: Futura Press Seca no reservatório do Rio Jacareí, em Joanópolis, São Paulo. Foto: Futura Press Seca no reservatório do Rio Jacareí, em Joanópolis, São Paulo. Foto: Futura Press Seca no reservatório do Rio Jacareí, em Joanópolis, São Paulo. Foto: Futura Press Seca no reservatório do Rio Jacareí, em Joanópolis, São Paulo. Foto: Futura Press Seca no reservatório do Rio Jacareí, em Joanópolis, São Paulo. Foto: Futura Press Seca no reservatório do Rio Jacareí, em Joanópolis, São Paulo. Foto: Futura Press Seca no reservatório do Rio Jacareí, em Joanópolis, São Paulo. Foto: Futura PressSistema Cantareira tem o menor nível em duas décadas. Foto: Patricia StavisSistema Cantareira tem o menor nível em duas décadas. Foto: Patricia StavisSistema Cantareira tem o menor nível em duas décadas. Foto: Patricia StavisSistema Cantareira tem o menor nível em duas décadas. Foto: Patricia StavisSistema Cantareira tem o menor nível em duas décadas. Foto: Patricia StavisSistema Cantareira tem o menor nível em duas décadas. Foto: Patricia StavisSistema Cantareira tem o menor nível em duas décadas. Foto: Patricia StavisSistema Cantareira tem o menor nível em duas décadas. Foto: Patricia StavisSistema Cantareira tem o menor nível em duas décadas. Foto: Patricia StavisSistema Cantareira tem o menor nível em duas décadas. Foto: Patricia Stavis

"Procurei a Sabesp na última semana e apresentei a proposta. Agora estamos aguardando que a companhia marque uma reunião com a associação", afirmou o presidente da ASSCOESP, José Carlos Braga. Os poços artesianos tem o objetivo de captar água do subsolo sem o uso de bombas. 

"Como o valor para a construção desses poços é bem alto, seria inviável fazermos isso sozinhos, por isso decidimos propor essa parceria para a Sabesp", afirmou Braga. O valor mínimo estimado para a construção do poços artesianos é de aproximadamente R$ 20 mil.

A Sabesp confirma o pedido do sindicato e afirma que uma reunião deve ser agendada. A companhia não sinaliza se deve ou não aceitar a proposta.

Mais:
Sabesp captou mais água que o permitido no volume morto do Cantareira
Sem racionamento de água, Cantareira pode levar até 15 anos para se recuperar

Sobre medidas para a diminuição do consumo de água, Braga afirma que os síndicos estão sendo orientados a pedir a colaboração de todos os condôminos. "É importante lembrar que o momento é crítico e que é necessário que todos colaborem e economizem".

Nesta terça-feira (21), o nível do sistema Cantareira está em 3,3%, de acordo com o monitoramento diário da Sabesp.

2º cota do volume morto

A Justiça Federal suspendeu a liminar que impedia o uso da segunda cota da reserva técnica (volume morto) do Sistema Cantareira e determinava que a Agência Nacional de Águas (ANA) e o Departamento de Águas e Energia Elétrica do Estado de São Paulo (Daee) revissem a retirada feita pela Companhia de Saneamento Ambiental do Estado de São Paulo (Sabesp). 

A liminar obtida no dia 10 deste mês foi proposta em ação dos Ministérios Públicos Estadual (MPE-SP) e Federal (MPF) com o objetivo de garantir que o consumo da primeira parte do volume morto não se esgotasse antes de 30 de novembro e que não provocasse prejuízos às vazões para a bacia hidrográfica dos rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí (PCJ). Determinava ainda que a ANA e o Daee definissem semanalmente as vazões a serem cumpridas com a fixação de metas de restrição ou suspensão de utilização de água pelos usuários.

O documento estabelecia ainda que os órgãos adotassem medidas necessárias para que no prazo de cinco anos ocorra a recuperação do Sistema Cantareira no volume integral, com nível de segurança superior a 95% de garantia de abastecimento.

Bônus na conta de água

Nesta quinta-feira (16), o governador Geraldo Alckmin afirmou que apresentou a Sabesp um bônus gradual para premiar as pessoas que não atingirem a meta de 20% de redução na conta de água para obter o desconto.

Segundo o governador, o desconto será feito de acordo com o que foi economizado e valerá para a região metropolitana e Campinas. "Acho que vai ser aprovado, e essa vai ser mais uma medida para a gente evitar desperdício", afirmou.

A ideia do governo é estimular que as pessoas economizem cada vez mais. "Às vezes a pessoa reduziu o consumo 15%, 18% ou19%, mas não ganhou o bônus, não conseguiu chegar nos 20%, então acaba desanimando. Então, nós propusemos à Sabesp para que dê também bônus menores", explicou Alckmin.

Leia tudo sobre: condomíniosparceriasindicatosabespáguapoços artesianosigsp

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas