Sabesp ignorou crise e retirou mais água do que o determinado, afirmam MPs

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Tabela que foi elaborada por agências federais com limites para retirada de água de acordo com nível dos reservatórios do Estado foi amplamente desrespeitada pela companhia paulista

De acordo com documento apresentado pelos Ministérios Públicos Estadual e Federal em coletiva de imprensa realizada nesta quarta-feira (8), no interior paulista, a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) ignorou a crise hídrica de 2014 e retirou mais água de seus reservatórios do que o determinado pela Agência Nacional de Águas (ANA) e pelo Departamento de Águas e Energia Elétrica (DAEE).

Elaborado em 2004, o documento traz uma tabela chamada Curva de Aversão a Risco mostrando como a retirada de água deve ser feita de acordo com o nível apresentado pelos sistemas, que se encontram atualmente em sua situação mais crítica.

Janeiro deste ano, quando choveu dez vezes menos do que a média histórica, ilustra bem o ocaso da Sabesp com a situação: enquanto a companhia tinha como determinação a retirada máxima de 29 mil litros por segundo do Sistema Cantareira, ela retirou 32,2 mil litros por segundo, deixando ainda mais escasso o volume de suas represas.

O mesmo ocorreu nos meses seguintes, que ajudaram a levar o sistema à atual situação de apenas 5,5% de sua capacidade de armazenamento, mesmo com a retirada do volume morto em maio.

Em fevereiro, a recomendação era para se retirar 28 mil litros por segundo, mas a Sabesp chegou até a aumentar a retirada, para 33 mil litros por segundo. Da mesma forma, em março, quando a determinação era para se retirar 27 mil litros por segundo, a Sabesp retirou 30,9 mil litros por segundo.

No documento, os MPs também destacaram que foi exigida a apresentação de um plano de operação dos reservatórios do Cantareira para o período que abrange os meses de agosto e maio. No entanto, ele ainda não foi apresentado. 

Leia tudo sobre: igspsabespcrise hídrica

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas