Acidente com avião matou sete pessoas, entre elas o candidato do PSB a Presidência Eduardo Campos no dia 13 de agosto.

A Justiça Federal estabeleceu nesta quinta-feira (2) que as investigações sobre possíveis crimes relacionados ao acidente aéreo que ocorreu no dia 13 de agosto e matou o candidato do PSB à Presidência, o ex-governador de Pernambuco Eduardo Henrique Accioly Campos, em Santos, sejam feitas apenas por autoridades federais.

Veja também:

Morre Eduardo Campos, candidato do PSB à Presidência, em acidente aéreo

Filho de Campos faz primeiro comício 40 dias após morte do pai

 A decisão determinou que o inquérito da Polícia Civil de São Paulo passe a integrar o procedimento já conduzido pelo Ministério Público Federal em Santos, em conjunto com a Polícia Federal.

Confira imagens do acidente aéreo que matou o candidato Eduardo Campos

A ordem atende a um pedido do MPF e garante o cumprimento da Constituição, que prevê que a navegação aérea é um serviço público federal, explorado pela União diretamente ou mediante permissões e concessões. Além disso, fixa entre as atribuições dos juízes federais o julgamento de crimes praticados em detrimento de bens, serviços ou interesses da União. 

Além de Eduardo Campos, o acidente matou mais seis ocupantes da aeronave.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.