Nível dos principais reservatórios de SP permanece o mesmo apesar das chuvas

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Sistemas Cantareira e Alto Tietê mantiveram capacidade de armazenamento após temporais ocorridos de madrugada

Agência Brasil

Não houve redução, mas as chuvas que caíram sobre o Estado de São Paulo na madrugada desta quarta-feira (3) também não foram suficientes para suprir o déficit de armazenamento nos principais reservatórios da região.

No Sisema Cantareira, responsável pelo abastecimento de 6,5 milhões de pessoas, a contribuição dos temporais foi de um total de 22,2 milímetros (mm) de chuva, mantendo, assim, seu nível de terça (2), de 10,7%, segundo a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp).

Caracterísitca semelhante à do Sistema Alto Tietê, que abastece 4,5 milhões de consumidores, onde o nível dos reservatórios permaneceu praticamente inalterado, passando de 15,3% para 15,2%. Em sua região, choveu 14,5 mm - a média histórica é de 84,5 mm.

De acordo com a Somar Meteorologia, a chuva começou na terça (2) à noite em diversas cidades de São Paulo e acumulou entre 20 a 30 mm espalhados por todo o Estado. Na capital paulista foram 17mm e, segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), não chovia dessa forma desde o dia 16 de abril.

“Em setembro, o normal é que chova 91,9mm. E nestes três primeiros dias do mês, a chuva acumulou 29,9mm”, disse a Somar Meteorologia, responsabilizando os temporais por manter a estabilidade do nível dos reservatórios.

Haverá precipitação também nesta quarta. Mas, segundo a previsão do tempo, ela virá acompanhada por trovoadas intercaladas com períodos de melhoria, o que provoca a sensação de mais um dia abafado. As temperaturas seguem altas em todo o estado, com máxima de 28ºC na capital, 30ºC em Campinas e 34ºC em Ribeirão Preto.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas