Segurança é reforçada para primeira audiência do caso Bernardo

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Corpo do garoto de 11 anos foi encontrado no dia 14 de abril, dez dias após desaparecer, enterrado em uma mata

Começa nesta terça-feira (26) em Três Passos, no Rio Grande do Sul a primeira audiência do caso Bernardo Boldrini. Dos quatro réus, apenas a assistente social Edelvânia Wirganovicz e seu irmão, Evandro Wirganovicz, vão comparecer. O pai, Leandro Boldrini, e a madrasta, Graciele Ugulini, não estarão presentes.

A polícia militar informou que 40 policiais serão deslocados de Santa Rosa e Frederico Westphalen para reforçar a segurança em Três Passos.

Polícia indicia pai de Bernardo, madrasta e amiga por homicídio qualificado

Carta: 'Cuide bem do nosso filho', diz suposta carta da mãe de Bernardo antes de morrer

Ao todo, 35 testemunhas vão prestar depoimento na manhã de terça-feira. Depois de encerrada a primeira etapa, novas audiências serão realizadas com as testemunhas que não estivaram presentes nesta terça-feira em Três Passos. Após ouvir todas as 77 testemunhas, o juiz vai decidir se o caso segue ou não para Júri Popular.

Entrevista coletiva da Polícia Civil, em Três Passos, apresenta inquérito do Caso Bernardo. Foto: Divulgação/Polícia CivilInquérito do Caso Bernardo Boldrini tem mais de 2 mil páginas e 11 volumes. Foto: Divulgação/Polícia CivilO corpo do menino, morador de Três Passos, foi encontrado no dia 14 de abril, dez dias após desaparecer. Foto: DivulgaçãoO atestado de óbito de Bernardo Uglione Boldrini, de 11 anos, registra por morte violenta. Foto: Jader Benvegnú/Futura PressVelório do corpo de Bernardo Uglione Boldrini, no Hospital de Caridade de Santa Maria. Foto: Jader Benvegnú/Futura PressEnterro do corpo de Bernardo Uglione Boldrini de 11 anos, na manhã desta terça-feira (15), no Cemitério Ecumênico Municipal de Santa Maria. Foto: Jader Benvegnú/Futura PressBernardo é enterrado ao lado da mãe no Cemitério Ecumênico Municipal de Santa Maria (RS). Foto: Jader Benvegnú/Futura PressBernardo e a mãe em foto usada durante velório do menino em Três Passos, no Rio Grande do Sul. Foto: Jader Benvegnú/Futura Press

A morte

O corpo do garoto de 11 anos foi encontrado no dia 14 de abril, dez dias após desaparecer, enterrado em uma mata na cidade de Frederico Westphalen, que fica a 80 quilômetros de Três Passos, onde a família reside.

Depoimento do pai: Madrasta dizia que Bernardo era 'uma semente do mal'
O caso: Polícia apura se menino foi morto por injeção letal; pai e madrasta são presos

Desde o dia em que o corpo de Bernardo foi descoberto, o pai, a madrasta e uma amiga dela - a assistente social Edelvânia Wirganovicz, que teria ajudado a ocultar o corpo - estão presos. A última vez em que Bernardo foi visto, no dia 4 de abril, ele estava no carro da madrasta.

O laudo da perícia confirmou que substâncias do sedativo Midazolam foram encontradas no corpo de Bernardo. Para que o inquérito seja concluído, outros depoimentos ainda serão tomados e serão analisados laudos com resultados sobre o material colhido no corpo, na cova e nos automóveis.

Leia tudo sobre: caso bernardoaudiência

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas