SP registra aumento de roubos e homicídios

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Números, que incluem Estado e capital, foram amenizados pela SSP, que fala em tendência de queda desses e de outros crimes

Apesar de terem sido amenizadas pela Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo, as estatísticas criminais da unidade federativa revelam que houve aumento no número de homicídios e roubos tanto na capital paulista como no Estado em geral.

Nivaldo Lima/Futura Press
Só na capital paulista foram registrados 86 homicídios em julho passado

Divulgado nesta segunda-feira (25), os dados mostram, ao se comparar os números de julho de 2014 aos do mesmo período do ano passado, um crescimento de 3,6% nas mortes intencionais - um total de 86 vítimas - e de 20,3% no número de roubos na capital paulista (13.689 casos ante 11.383 do mesmo período de 2013). No Estado, os homicídios cresceram 6,8% (332 mortes contra 311 de julho do ano passado) e os roubos, 12,6% (25.825 ante 22.931 do mesmo período em 2013).

A SSP, no entanto, exaltou os números como sendo positivos. Os roubos, por exemplo, foram divulgados como tendo alta abaixo dos 25% na capital e abaixo dos 15% no interior. Também ressaltou o fato de as taxas de homicídios em São Paulo permanecerem abaixo da proporção máxima preconizada pela Organização das Nações Unidas (ONU), segundo a qual as mortes intencionais não podem superar as 10 para cada 100 mil habitantes.

Leia também:
Roubos mantêm alta de mais de 40% em São Paulo em 2014; homicídios caem
Casos de roubo crescem 42% em São Paulo
Roubos caem na região da Cracolândia, mas aumentam na cidade de São Paulo

Também foram comemoradas as baixas em outras modalidades de crimes, como latrocínio (roubo seguido de morte), que teve queda de 45,5% na capital paulista e de 35,5% no Estado - respectivamente, foram registrados 11 e 20 casos.

O mesmo pode se dizer sobre o número de furtos e roubos de veículos: na capital a diminuição foi de 6,3% e 11,5%, respectivamente; enquanto, no Estado, de 11,2% e 0,5%.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas