Com bombas e presença da Tropa de Choque, protesto de comunidade fecha via em SP

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Manifestação iniciada por volta das 17h30 desta terça-feira mobilizou Tropa de Choque da Polícia Militar

Um protesto de moradores de uma comunidade localizada na Marginal Pinheiros, em São Paulo, fechou por mais de três horas o trânsito da pista local sentido-Interlagos da via, no final da tarde desta terça-feira (19). Um cenário de guerra se instalou próximo à Ponte Otávio Frias Filho (Estaiada), cartão postal da cidade, com confronto entre moradores da favela Real Parque e policiais militares. 

Veja o vídeo do início do protesto na capital paulista:

O motivo para o protesto foi a morte de dois moradores da comunidade horas antes, após um sequestro relâmpago falhar. Segundo a corporação, um deles foi morto acidentalmente pelos próprios comparsas e o outro, em troca de tiros com policiais.

A manifestação começou às 17h30, com moradores da comunidade colocando fogo em caçambas de lixo. Na sequência, eles pararam um ônibus, fizeram os passageiros descerem e estenderam faixas com palavras de ordem contra ações truculentas da polícia. O fechamento de uma movimentada via da capital em pleno horário do rush chamou a atenção da PM. Em poucos minutos, ao menos duas dezenas de viaturas chegaram ao local, apoiadas por um helicóptero Águia que voava baixo sobre a comunidade. Homens da Tropa de Choque cercaram o ônibus para impedir que os moradores se aproximassem.

Enquanto o trânsito seguia completamente travado, com a Companhia de Engenharia e Tráfego (CET) aconselhando os motoristas a evitarem a região, manifestantes e policiais entraram em confronto. De um lado partiam tiros de fogos de artifício e bombinhas, do outro, bombas de efeito moral. Vários focos de fogo se espalharam pela pista. Uma fumaça espessa tomou conta do local.

O protesto só foi contido por volta das 19h30. Contudo, a via da Marginal Pinheiros só foi liberada para tráfego de motoristas quase duas horas depois. Segundo a PM, o policiamento seguiu no local para evitar que os moradores reiniciassem a manifestação. Não houve registro de presos ou feridos.

Instagram/Reprodução
Moradores colocam fogo em entulho na pista local sentido-Interlagos da Marginal Pinheiros, nesta terça

Pelas mortes

O motivo para o protesto teria sido as mortes de Wellington Gomes e do menor T., ambos de idade não divulgada. Segundo o Boletim de Ocorrência divulgado pela PM, eles participaram de um sequestro-relâmpago fracassado com outros dois rapazes na manhã desta terça-feira, no bairro Vila das Belezas, zona sul paulistana.

A ação dos suspeitos teria falhado quando a vítima, em um ato de desespero, desarmou um deles em uma agência bancária e, na fuga, já na rua, deu uma coronhada em um outro, que teria desmaiado. Na tentativa de fugir da PM, que começava a cercar a região, os dois suspeitos que estavam no banco voltaram ao carro da vítima, abandonado pelos outros dois que os aguardavam, e acidentalmente atropelaram o comparsa desmaiado.

Cercados, os suspeitos acabaram largando o veículo da vítima em uma rua próxima e fugiram a pé, cada um para um lado. Um deles, o menor T., armado com um revólver calibre .38, foi descoberto pelos PMs em um terreno de construção. Houve troca de tiros e ele acabou alvejado, morrendo no local.

Leia tudo sobre: protestomarginal pinheirosfavelatropa de choque

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas