"Demissões foram motivadas por abusos cometidos pelos mesmos durante o período de greve abusiva",diz nota

O Metrô informou em nota que dos 42 recursos administrativos após a paralisação, dois deles foram aceitos pela empresa. Em junho o Tribunal Regional do Trabalho julgou abusiva e ilegal a greve dos metroviários, em São Paulo. Com a decisão, a categoria foi pressionada a voltar ao trabalho sob o risco de multa diária R$ 500 mil.

Mais:

'Nossa força está além da nossa categoria', afirma metroviária demitida em SP

Mais metroviários podem ser demitidos, diz governador de São Paulo

Em nota o Metrô esclarece que: “as demissões foram motivadas por abusos cometidos pelos mesmos durante o período de greve abusiva da categoria. As dispensas foram fundamentadas em provas documentais e objetivas. Ressaltamos que, desde o início do processo das demissões, a Companhia assegurou a todos o direito de ampla defesa em respeito às garantias individuais e apreço a classe dos metroviários.”


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.