Assembleia aprova vagão exclusivo para mulheres no metrô de São Paulo

Por Agência Brasil | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Projeto de Lei 175/2013, de autoria do deputado Jorge Caruso (PMDB), precisa ser sancionado pelo governador do estado

Agência Brasil

A Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp) aprovou ontem (3) o projeto de lei que obriga a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) e o Metrô a reservar espaço exclusivo para mulheres, o chamado vagão rosa.

Mais:Agentes do metrô de SP explicam como agem os assediadores

'Encoxadores' do metrô marcam encontro pelo Facebook

Marcos Bezerra/Futura Press
Movimentação de passageiros na estação Barra Funda do Metrô após suspensão da paralisação dos metroviários em São Paulo, nesta terça-feira (10)


No começo deste ano, a Delegacia de Polícia do Metropolitano (Delpom) prendeu pelo menos 33 homens que se aproveitavam da superlotação nesses meios de transporte para abusar de passageiras.

Mulheres vítimas de assédio no transporte público reclamam de humilhação

O Projeto de Lei 175/2013, de autoria do deputado Jorge Caruso (PMDB), precisa ainda ser sancionado pelo governador do estado, Geraldo Alckmin, para entrar em vigor.

Pela proposta aprovada, o trem e o metrô devem destinar um vagão em cada composição para as mulheres. O vagão rosa funcionaria diariamente, exceto fins de semana e feriados.

Caso a lei seja sancionada, trem e metrô terão prazo de 90 dias para cumprir as normas, sob pena de pagamento de multa.

Leia tudo sobre: igspsão paulometrômulheres

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas