Azaração vai além dos limites em festa da Copa do Mundo em São Paulo

Por Bruna Talarico - iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Abordagem truculenta é usada em mulheres durante comemorações dos jogos no bairro boêmio da Vila Madalena

- Hey, where are you from? (Ei, de onde você é?) - perguntou, em inglês, um rapaz magrelo, sorriso largo adornado por aparelho metálico, boné de aba achatada e casaco de moletom.

- Do mesmo lugar que você - respondeu a menina que havia tido o braço segurado.

- I’m from Zona Leste, mano! (Eu sou da Zona Leste, mano!) - arrematou, rindo, o menino.

Abordagens em outro idioma não são incomuns mesmo entre brasileiros que frequentam a noite da Vila Madalena em dia de jogos da Copa do Mundo. Sob o argumento de que o inglês ajuda na conquista do público feminino ávido por um turista para chamar de seu, os rapazes têm apostado em expressões-chave e introdutórias - e muitas vezes não conseguem articular além disso.

Torcedores holandeses se divertem com paulistanas na noite da última segunda-feira (23). Foto: Bruna Talarico/ iGTorcedores colombianos se dizem encantados pela fartura de público feminino na noite da última segunda-feira (23) na Vila Madalena. Foto: Bruna Talarico/ iGMultidão toma conta da esquina das ruas Aspicuelta e Mourato Coelho, na Vila Madalena: moradores reclamam da falta de educação dos torcedores nesta segunda-feira (23). Foto: Bruna Talarico/ iGMultidão toma conta da esquina das ruas Aspicuelta e Mourato Coelho, na Vila Madalena: moradores reclamam da falta de educação dos torcedores nesta segunda-feira (23). Foto: Bruna Talarico/ iGTorcedores se aliviam na cerca-viva de um instituto de psicoterapia corporal: uma porta chegou a ser derrubada para servir de banheiro nesta segunda-feira (23). Foto: Bruna Talarico/ iGOsvaldo Santos, morador da Vila Madalena, sofre com os festejos desmedidos no bairro: com sua bengala, ele luta contra mijões nesta segunda-feira (23). Foto: Bruna Talarico/ iGLixo acumulado é visto pelas ruas da região após jogo entre Bósnia e Argentina (15.06). Foto: Taba Benedicto/Futura PressTorcedores assistem ao jogo Brasil e México na tarde desta terça-feira (17), em bar na Vila Madalena, cidade de São Paulo (SP). Foto: Taba Benedicto/Futura PressTorcedores assistem ao jogo Brasil e México na tarde desta terça-feira (17), em bar na Vila Madalena, cidade de São Paulo (SP).. Foto: Taba Benedicto/Futura PressTorcedores assistem ao jogo Brasil e México na tarde desta terça-feira (17), em bares na Vila Madalena, cidade de São Paulo (SP).. Foto: Lin Ko/Futura PressTorcedores assistem ao jogo Brasil e México na tarde desta terça-feira (17), em bar na Vila Madalena, cidade de São Paulo (SP).. Foto: Gabriela Bilo/Futura Press

Na última segunda-feira (23), a equipe do iG esteve no bairro para acompanhar de perto a festa: encontrou muito lixo, desrespeito ao patrimônio, abuso de álcool, venda de drogas e brigas físicas entre frequentadores. Mas, além disso, viveu também um pouco da hostilidade direcionada ao público feminino naquilo que transcendeu, há muito, o flerte. O diálogo que abre esta matéria foi um raro exemplo de aproximação bem-humorada, mas que, ainda assim, foi marcada pela imposição do contato físico. Com o avançar das horas e da quantidade de álcool ingerida, o uso da força aumentava na mesma proporção da quantidade de grosserias proferidas. A equipe de reportagem chegou a ser xingada ao pedir que um homem visivelmente embriagado soltasse seu punho.

Bruna Talarico/ iG
Torcedores colombianos se dizem encantados pela fartura de público feminino na noite da última segunda-feira (23) na Vila Madalena

Vídeo: “FanFest” da Vila Madalena: “Sou homem, mijo em muro sim"

Durante entrevista a um grupo de colombianos, a insistência para que a reportagem aceitasse um beijo dos vizinhos latinos deu a tônica da conversa. "Desde que cheguei em São Paulo, minha vida tem sido a Vila Madalena", contou Felipe Montil, 27 anos. "É onde tem festa e mulheres." 

Bruna Talarico/ iG
Paulistanas se divertem com torcedores holandeses na noite da última segunda-feira (23)

Enquanto isso, duas meninas que conversavam com torcedores holandeses se mostravam encantadas pela postura mais passiva dos estrangeiros. "Quando vai ser publicada? Quero ter essa foto!", animou-se uma, enquanto a amiga fazia coro com a excitação. 

O comportamento hostil na abordagem, no entanto, dá a tônica da noite e não é exclusividade da festa na Vila Madalena. Muito menos da cidade de São Paulo. Na tradicional Festa de Peão de Barretos, a 423 quilômetros da capital paulista, uma das tradições degradantes consistia em se laçar as pernas das meninas desejadas como se fossem gado. Com o passar dos anos e a rejeição sensível de público feminino, a segurança foi aumentada, e a prática acabou sendo inibida.

No Rio de Janeiro, onde a Lapa, na região central, recebe praticamente todos os fins de semana um contingente de festeiros que deixa os mesmos problemas que os testemunhados na Vila Madalena durante a Copa, não são incomuns os puxões de cabelos e a constituição de currais informais para limitar as negativas - e escapatórias - femininas. Levada às últimas consequências, tal truculência pode se traduzir em violência sexual.

Procurada, a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo não soube informar se ocorrências neste sentido foram registradas no Distrito Policial de Pinheiros, que abrange a região da Vila Madalena.

Leia tudo sobre: Copa 2014Vila Madalenabaladafesta

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas