Policiais militares vão reforçar segurança na porta das escolas de São Paulo

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Serviço será feito nos dias de folga dos PMs que podem trabalhar voluntariamente com direito a remuneração adicional

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, anunciou nesta terça-feira (24) que as escolas estaduais receberão reforço policial na volta às aulas, que acontece na segunda quinzena de julho. Cerca de 1.550 irão ficar nas portas das escolas localizadas em pontos onde os índices criminais são maiores.

Mais: 1 em cada 4 professores de escolas públicas brasileiras é temporário, diz Ipea

O reforço será feito nos dias de folga dos militares que podem trabalhar voluntariamente com direito a uma remuneração adicional. Ainda segundo o governo, serão investidos mais de R$ 5,5 milhões por mês.

O principal objetivo é minimizar os conflitos na porta e entorno das escolas e dar continuidade às ações preventivas já aplicadas, como a Ronda Escolar, o Programa Educacional de Resistência às Drogas (Proerd) e, principalmente, o Sistema de Proteção Escolar. Esse último, implantado na rede em 2009, promove estratégias para a melhoria das relações e segurança do ambiente escolar.

Os PMs atuarão sempre em dupla em uma jornada de oito horas em 775 escolas na capital, região metropolitana, na Baixada Santista e em Campinas, no interior de São Paulo.

Professores mediadores

O Estado também conta com o trabalho de 2.688 professores capacitados para prevenir conflitos no ambiente escolar. Os chamados professores mediadores têm função de traçar planos para proteger os alunos de fatores de risco e também coibir comportamentos discriminatórios (racistas, homofóbicos, entre outros). Para isso, os educadores passam por formações de técnicas de Justiça Restaurativa, além de elaborar jogos, dinâmicas, rodas de conversa, sempre em linguagem jovem e que envolva toda a escola.

Leia tudo sobre: escolassegurançapoliciaisigspsão paulo

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas