Superintendência considerou abusiva a demissão dos metroviários de São Paulo e valor da multa é de R$8.050,55

O Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) multou o Metrô de São Paulo em R$ 8.050,55 por causa das demissões de 42 metroviários durante a greve da categoria, ocorrida entre 5 e 9 de junho. O ministério considerou a ação da companhia abusiva.

Mais:  Metrô afirma que cerca de 60 funcionários grevistas serão demitidos em SP

O Metrô recebeu a multa na última sexta-feira (13) através da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE), que representa o MTE na cidade. O Ministério espera que com isso as demissões sejam revertidas.

Leia também:  Tribunal Regional do Trabalho julga ilegal greve dos metroviários em SP

Em nota, o Metrô criticou a decisão do MTE. "Defender os demitidos é ignorar as ordens judiciais que declararam a greve abusiva. A posição do Ministério do Trabalho é um acinte ao Judiciário, ignora o sofrimento de 5 milhões de usuários do Metrô e contradiz inclusive a posição do ministro da Justiça, que defendeu a decisão judicial."

Greve

Durante a paralisação dos metroviários de São Paulo, somente as linhas 4-amarela e 5-lilás operaram normalmentes. As outras três linhas funcionaram parcialmente. Uma decisão do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) de São Paulo determinou que o reajuste dado à categoria fosse de 8,7%, o mesmo oferecido pela companhia.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.