Operário Juraci Cunha do Santos morreu na hora e dois trabalhadores ficaram feridos, mas não correm risco de morrer

A queda de uma viga nas obras de implantação do monotrilho, que resultou na morte de um operário no fim da tarde desta segunda-feira (09), ainda interdita trechos da avenida Washington Luis, na zona sul de São Paulo. Por conta do bloqueio, há lentidão na região, da rua Bourbon até a rua Vieira de Morais, segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET).

O acidente: Queda de viga do monotrilho deixa ao menos um morto em São Paulo

Além de morte de Juraci Cunha do Santos, dois trabalhadores ficaram feridos, mas não correm risco de morrer. O governador Geraldo Alckmin escreveu, em sua conta no Twitter, que vai exigir providências do consórcio responsável pela obra, o Monotrilho Integração, formado pelas empresas Andrade Gutierrez, CR Almeida, Scomi e MPE. Alckmin lamentou a morte do operário e manifestou solidariedade à família.

O Metrô informou que exigiu do consórcio uma apuração rápida das causas do acidente. Já o consórcio emitiu comunicado em que lamenta a morte de Juraci. “O consórcio acrescenta que uma perícia será feita no local para identificar as causas do acidente. Neste momento, o consórcio responsável pela obra se solidariza com as famílias e prestará todo o suporte necessário às mesmas”, diz a nota.

O monotrilho, sistema de trens elevados, vai ligar o bairro do Morumbi ao Jabaquara, passando pelo Aeroporto de Congonhas, que fica próximo ao local do acidente. Serão, ao todo, 18 quilômetros de trilhos e18 estações, com interligações com linhas do metrô e da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos.

* Com Agência Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.