Manifestantes protestaram na região da estação Ana Rosa. Avenida Vergueiro foi fechada e Tropa de Choque agiu

Um grupo de manifestantes - formado por funcionários do Metrô que estão paralisados, integrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto, Mocimento Passe Livre (MPL) e outros movimentos sociais - entrou em confronto com a Tropa de Choque da Policia Militar (PM) de São Paulo, na manhã desta segunda-feira (09), quinto dia de greve dos metroviários . A confusão ocorreu por volta da 6h30, na avenida Vergueiro e nas proximidades da estação Ana Rosa do Metrô (linhas 1-Azul e 2-Verde).

Hoje: No quinto dia de greve, Metrô de São Paulo tem paralisações em três linhas

Alternativa: Ônibus e CPTM mantêm operação especial com greve em São Paulo

Câmeras pela cidade: Veja como está o trânsito em na capital paulista

De acordo com a Polícia Militar, desde às 4h, cerca de 100 funcionários do Metrô estavam dentro da estação, parte deles formada por grevistas e outra parte de supervisores escalados para trabalhar durante a greve. 

Protesto em frente a estação Ana Rosa do Metrô durante a paralisação dos metroviários em São Paulo, nesta segunda-feira (9)
Marcos Bezerra/Futura Press
Protesto em frente a estação Ana Rosa do Metrô durante a paralisação dos metroviários em São Paulo, nesta segunda-feira (9)

Segundo o Major Cabana, os grevistas estavam tentando impedir a abertura da estação e a polícia foi ao local para tentar encontrar uma solução. Por volta das 6h, após a negociação não avançar, os grevistas teriam arrombado uma das portas e 13 pessoas foram levadas para a 36 ºDP para serem averiguadas.

"Pedi para que eles deixassem a estação e estávamos conversando para que eles saíssem. Quando eles perceberam que a PM poderia agir, ele arrombaram o portão, que agora está resguardado para a perícia. Essas pessoas não estão presas, mas foram levadas para o DP para identificar a conduta de cada um", afirmou o major.

Ainda segundo ele, os integrantes da manifestação que estavam fora da estação viram a confusão e fizeram uma barricada na avenida Vergueiro, no sentido Jabaquara, colocando fogo em sacos de lixo.. A Tropa de Choque entrou em ação e jogou bombas de efeito moral, dispersando parte do grupo.

Protesto em frente a estação Ana Rosa do Metrô durante a paralisação dos metroviários em São Paulo, nesta segunda-feira
Marcos Bezerra/Futura Press
Protesto em frente a estação Ana Rosa do Metrô durante a paralisação dos metroviários em São Paulo, nesta segunda-feira

Quando correu para a outra parte da avenida, no sentido Paraíso, os manifestantes fecharam também essas pistas, fazendo a Tropa de Choque agir mais uma vez. Mais bombas foram disparadas, dessa vez em meio aos carros que ainda estavam no local. Houve correria e a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) e os Bombeiros foram acionados.

Após liberar as avenidas, os policiais fizeram um cordão de isolamento na estação até que ela fosse reaberta, o que ocorreu por volta de 7h50.

Parte do grupo, cerca de 1.500 pessoas, segundo o MTST, foram em diração a Praça da Sé, de onde caminharam até a secretaria de Transporte para cobrar que o governo negocie com os manifestantes .

Nesta segunda-feira, a capital paulista enfrenta o quinto dia de greve . A linha 1-Azul opera no trecho entre a estação Paraíso e Luz; a linha 2-Verde no trecho entre a estação Paraíso e Clínicas; e a linha 3-Vermelha funciona no trecho que vai da estação Bresser-Brás a Santa Cecília. As linhas 4-Amarela e 5 Lilás funcionam normalmente.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.