MTST anuncia acordo com o governo e fim das manifestações contra a Copa

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Movimento diz que governo se comprometeu a construir casas populares em terreno na zona leste da São Paulo, mudanças no Minha Casa, Minha Vida e criação de comissão sobre despejos

O coordenador do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST), Guilherme Boulos, afirmou nesta segunda-feira (09) que o movimento entrou em acordo com o governo para a construção de cerca de 2 mil habitações populares no local onde está a ocupação Copa do Povo, na zona leste de São Paulo. "Nossas três principais pautas foram atendidas hoje pelo governo federal, com participação dos governos estadual e municipal", afirmou o representante da entidade.

Leia também:

MTST afirma que protestos serão intensificados se não houve negociação

Copa do Povo: 3 mil no Itaquerão: “Quero ver o Neymar e a Dilma dormindo aqui”

Veja imagens do último protesto do MTST:

Manifestantes pressionam por solução para a ocupação Copa do Povo na votação do Plano Diretor Estratégico da capital. Foto: Natália Peixoto / iG São PauloIntegrantes do MTST concentrados em frente à Câmara Municipal de São Paulo. Foto: Natália Peixoto / iG São PauloIntegrantes do MTST se concentram na Praça da República, no centro de São Paulo, nesta quarta-feira (28). Foto: Divulgação/MTSTIntegrantes do MTST se concentram na Praça da República, no centro de São Paulo, nesta quarta-feira (28). Foto: Divulgação/MTSTIntegrantes do MTST se concentram na Praça da República, no centro de São Paulo, nesta quarta-feira (28). Foto: Divulgação/MTSTIntegrantes do MTST se concentram na Praça da República, no centro de São Paulo, nesta quarta-feira (28). Foto: Divulgação/MTSTIntegrantes do MTST se concentram na Praça da República, no centro de São Paulo, nesta quarta-feira (28). Foto: Divulgação/MTSTIntegrantes do MTST se concentram na Praça da República, no centro de São Paulo, nesta quarta-feira (28). Foto: Divulgação/MTST

Os outros dois pontos em que houve avanço, segundo Boulos, é a promessa de criação pelo governo federal de uma comissão interministerial para a prevenção de despejos forçados no País, visando evitar conflitos e violência policial; e mudanças no programa federal Minha Casa, Minha Vida, que teriam o objetivo de fortalecer a gestão direta dos empreendimentos e a qualidade e melhor localização das moradias.

Conheça mais da ocupação na zona leste de São Paulo:

De acordo com o movimento, com o atendimento destas reivindicações, o MTST não deverá mais convocar protestos contra a Copa do Mundo, como os realizados nas últimas semanas em São Paulo. "Haverá manifestações pela votação do Plano Diretor na Câmara", afirmou Boulos, ao explicar que ainda há pontos que devem buscados pelo movimento, mas sem a mobilização vista na capital paulista.

Em nota, o movimento afirma que a "grande vitoria foi resultado da mobilização forte e intensa do movimento nos últimos meses, de nossa aposta no Poder Popular. Além disso, as conquistas alcançadas não trarão benefício somente para as milhares de famílias organizadas pelo MTST, mas também para as milhões que sofrem com o problema da moradia no Brasil".

Leia tudo sobre: mtstsão pauloigspboulos

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas