Policiais dispararam bombas de efeito moral para dispersar manifestantes que tentavam impedir a abertura de estação

Policiais da Força Tática da Polícia Militar (PM) de São Paulo entraram em confronto com um grupo de manifestantes ligados ao sindicatos dos metroviários que tentavam impedir a abertura da estação Ana Rosa, das linhas 1-Azul e 2-Verde, na manhã desta sexta-feira, no segundo dia de greve da categorias . No confronto, que ocorreu por volta das 6h30, os policiais chegaram a utilizar bombas de efeito moral e cassetetes. 

Câmeras pela cidade: Veja como está o trânsito em São Paulo

Alternativa: Ônibus e trens da CPTM têm operação especial com greve do Metrô

Leia mais: Negociações não avançam e metroviários decidem manter greve na sexta (6)

Os grevistas estavam dentro da estação fazendo piquete para impedir que os supervisores operassem os trens, quando cerca de 20 homens da Força Tática avançaram contra os grevistas usando bomba de efeito moral e cassetetes. Dois grevistas ficaram feridos - um na perna e outro no ombro -, mas não precisaram de atendimento médico. Ao menos um grevista foi detido e levado para 16 DP (Santa Cruz).

Movimentação na estação Ana Rosa do Metrô de São Paulo, após confronto entre manifestantes e policias, nesta sexta-feira (06), no segundo dia de greve dos metroviários
Ana Flávia Oliveira
Movimentação na estação Ana Rosa do Metrô de São Paulo, após confronto entre manifestantes e policias, nesta sexta-feira (06), no segundo dia de greve dos metroviários

O capitão da PM Snay Nanni afirmou que a policia precisou agir para permitir que os usuários pudessem entrar na estação, "O motivo do confronto foi que eles estavam tentando impedir que a população pudesse usar o Metrô", afirmou. Cerca de 20 homens da Força Tática participaram da operação. Após a confusão, a estação foi aberta duas horas depois.

Outro grupo de policiais também se dirigiu até a Estação Bresser-Mooca, na Linha 3-Vermelha, onde grevistas impediam a entrada de funcionários. Várias estações do Metrô amanheceram com policiaimento reforçado nesta sexta-feira. 

Com a continuidade da greve dos metroviários na capital paulista, três linhas do Metrô estão operando parcialmente nesta sexta-feira. Operam parcialmente a Linha 1-Azul, que liga a zona norte à zona sul, a Linha 2-Verde, que vai da zona oeste à sul, e a Linha 3-Vermelha, que liga a zona leste ao centro. Já os trens da Linha 5-Lilás, que ligam bairros da zona sul, circulam em todas as estações. A Linha 4-Amarela, administrada pela Via Quatro por meio do regime de concessão, opera normalmente da zona oeste ao centro.

Apoio de atrasado

Apoio:
Ana Flávia Oliveira
Apoio: "Todo brasileiro tem direito a greve"

O representante legal Geovane José Freitas, 48 anos, disse que pegou três ônibus, um Metrô (até a estação Paraíso) e saiu uma hora e meia mais cedo do que o costume de casa, na Freguesia do Ó, na zona norte, para chegar ao trabalho na Conceição (zona sul).

Mas nada disso adiantou e ele disse que chegaria atrasado. Apesar da dificuldade, ele apoia a greve. "Todo brasileiro tem direito a greve. O Estado que tinha que ter visto isso antes. Todo ano tem campanha salarial", afirmou.

1º dia

'Estava pensando em desistir', afirma jovem que esperou 2h30 por ônibus em SP

Sem Metrô, vans fazem trajetos até estações por R$ 5 ou R$ 10 em São Paulo

Usuários quebram grades e invadem linha de trem da CPTM em São Paulo

Com greves, São Paulo registra novos recordes de lentidão em 2014

Em nota, Metrô diz que greve é "sofrimento covarde à população"

Dilma considera “lamentável” reação violenta por greve de metrô em SP

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.