Dilma considera “lamentável” reação violenta por greve de metrô em SP

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Presidente criticou grupo que invadiu estação Corinthians-Itaquera, localizada ao lado do estádio que abrirá a Copa

A presidente Dilma Rousseff classificou como “lamentável” a reação de alguns usuários contra a greve dos metroviários em São Paulo nesta quinta-feira (5), que depredaram instalações do metrô.

Leia mais
Negociações não avançam e metroviários decidem manter greve na sexta (6)

Questionada por jornalistas sobre os incidentes violentos registrados na capital paulista pela manhã, Dilma limitou-se a responder “lamentável, lamentável”, após participar de reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, no Palácio do Planalto.

A sete dias da abertura da Copa do Mundo, em São Paulo, a greve dos metroviários complica a movimentação na capital paulista, com registro de grandes congestionamentos e princípio de tulmuto na estação Cortinhians-Itaquera, próxima à Arena Corinthians, que será o palco da abertura do Mundial.

Os metroviários decidiram em assembleia na noite de quarta-feira pela paralisação "por tempo indeterminado". O sistema chegou a ser completamente paralisado por um curto período no início da manhã, mas duas das cinco linhas voltaram a funcionar, e as outras três linhas (1-azul, 2-verde e 3-vermelha) operam parcialmente, de acordo com o Metrô-SP.

Na estação Corinthians-Itaquera, principal via de acesso de torcedores à Arena Corinthians, houve um princípio de tulmuto e grades que bloqueavam a entrada ao sistema de trens de São Paulo, que funciona normalmente, foram derrubadas.

Os grevistas reivindicam reajuste salarial de dois dígitos e um novo plano de carreira. Uma nova assembleia deve ocorrer ainda nesta quinta.

Leia tudo sobre: grevemetroviáriosdilmaigsp

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas