Metroviários iniciam greve em São Paulo à 0h desta quinta-feira

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

CPTM anuncia esquema especial de operação para amenizar transtornos; prefeitura suspende rodízio de veículos

Começa, a partir da 0h desta quinta-feira (5), a greve que irá parar a circulação de cinco das seis linhas do Metrô de São Paulo. Anunciada já na semana passada, a decisão foi mantida após assembleia de funcionários da empresa, realizada no início da noite desta quarta (3). A Prefeitura da cidade suspendeu o rodízio de veículos.

Funcionários do sindicato que decidiu por manter a greve desta quinta (5) se reuniu na quarta (4). Foto: Paulo Iannone/Sindicato dos MetroviáriosMetroviários em frente à Catedral da Sé, no marco zero de São Paulo, nesta quarta-feira (4). Foto: Paulo Iannone/Sindicato dos MetroviáriosTrabalhadores não chegaram a acordo por reajuste salarial com Metrô. Foto: Paulo Iannone/Sindicato dos MetroviáriosParalisação de quinta afetará cerca de 4 milhões de pessoas. Foto: Paulo Iannone/Sindicato dos MetroviáriosLinha-4 Amarela, que vai da Estação da Luz à zona oeste da cidade, funcionará normalmente. Foto: Paulo Iannone/Sindicato dos MetroviáriosComposições da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) também não serão afetados. Foto: Paulo Iannone/Sindicato dos MetroviáriosSerá a primeira greve da categoria em dois anos; a última ocorreu em maio de 2012. Foto: Paulo Iannone/Sindicato dos Metroviários

A paralisação deve afetar até quatro milhões de pessoas que usam o transporte em São Paulo diariamente. A Linha-4 Amarela, que liga a Estação da Luz à zona oeste da cidade, funcionará normalmente.

Leia mais
Metroviários de SP aprovam greve que pode afetar 4 milhões de pessoas no dia 5
Sem acordo, São Paulo deve ter greve de Metrô nesta quinta-feira

Já a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) anunciou um esquema especial para esta quinta-feira. Em nota, a empresa afirma que seus trens circularão com menor intervalo, que haverá reforço no contingente de segurança, além do controle no fluxo de usuários para evitar superlotação nas plataformas.

A CPTM também informou que a estação Corinthians-Itaquera estará fechada devido à greve e que a a operação da Linha 7-Rubi (Luz – Francisco Morato) será estendida até a estação Brás.

O motivo para a paralisação é a falta de acordo de reajuste salarial entre sindicato e o Metrô. Enquanto os sindicatos dos metroviários e dos engenheiros querem aumento de 16,5%, sendo 7,98% (Índice Geral de Preços de Mercado, IGPM) e 7,5% (reajuste real), o Metrô ofereceu, na manhã desta quinta, aumento de apenas 8,7% para ambas as categorias, que não foi aceito.

A paralisação das cinco linhas é geral e não há previsão para terminar. Uma nova assembleia do sindicato para avaliar a situação está marcada para as 18h30 desta quinta. 

Apesar de terem ocorrido nove greves dos metroviários nos últimos 15 anos, será a primeira paralisação da categoria em dois anos. A última ocorreu no dia 23 de maio de 2012.

Leia tudo sobre: igspmetrôgrevemetroviários

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas