´Abraço´ na represa de Guarapiranga alerta para problema de abastecimento em SP

Por Agência Brasil | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Essa foi a nona edição do evento que busca chamar atenção sobre a necessidade do uso racional da água na capital paulista

Agência Brasil

Francisco Souza/Facebook/Divulgação
Imagem da 8ª edição do "Abraço Guarapiranga" realizada no ano passado

Diversas entidades ambientalistas organizaram neste domingo (1º) um grande abraço simbólico na represa de Guarapiranga, na zona sul de São Paulo, para alertar sobre a urgência de ações para a preservação dos mananciais. A ação também busca chamar atenção sobre a necessidade do uso racional da água na capital paulista, principalmente por causa da crise de abastecimento vivida atualmente pela cidade. O lema da campanha deste ano é "Água: somos todos responsáveis. Cuidar para não secar".

Segundo lembraram os organizadores do evento, São Paulo vive sua pior crise de água, com os níveis baixos do Sistema Cantareira, que abastece cerca de 9 milhões de habitantes da região metropolitana.

Leia também:
São Paulo inicia retirada do volume morto do Sistema Cantareira
Alckmin inaugura obra para captar volume morto do Sistema Cantareira
PT tenta responsabilizar Alckmin por crise da água
Padilha pega carona na crise da água

De acordo com o governo paulista, o ano hidrológico 2013-2014 apresentou índices pluviométricos fortemente desfavoráveis na bacia de contribuição do Cantareira, caracterizando a maior seca desde que as medições dos institutos de meteorologia começaram, há 84 anos.

Para superar a situação atípica, a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) passou a transferir vazões dos sistemas Guarapiranga e Alto Tietê para a área de influência do Sistema Cantareira.

Leia mais: Sabesp amplia para a região desconto para quem economizar água

Para os organizadores do evento, a maior utilização do Sistema Guarapiranga para o abastecimento da cidade pode trazer problemas à represa, que já sofre com o despejo de esgotos, as ocupações desordenadas e os desmatamentos.

Iatã Canabrava/Divulgação/ISA
Vista aérea de uma parte do manancial, na zona sul da capital paulista


´Abraçaço´

Essa foi a nona edição do Abraço à Represa de Guarapiranga e ocorreu em três diferentes pontos: no Parque da Barragem de Guarapiranga, no Solo Sagrado e no Parque Ecológico de Guarapiranga. No Solo Sagrado, centenas de pessoas deram as mãos para abraçar a represa ao meio-dia de hoje e para cantar a música Planeta Água, de Guilherme Arantes.

“O Abraço à Guarapiranga é uma homenagem simbólica da comunidade à represa. Estamos convivendo atualmente com o Cantareira com seus problemas e Guarapiranga é uma grande abastecedora de água potável para São Paulo. Então, preservar e conscientizar sobre o respeito a ela é fundamental para o valor à vida”, disse José Luiz Tomita, coordenador de atividades ambientais do Solo Sagrado. “Para termos água de qualidade, é preciso cuidar: não jogar lixo, não maltratar e usar com cuidado”, acrescentou ele.

Veja mais notícias de São Paulo e do País no Último Segundo
Acompanhe-nos pelo Facebook
Siga o Último Segundo pelo Twitter

Segundo Nilton de Oliveira, subprefeito de Parelheiros, uma força-tarefa envolvendo várias secretárias municipais deverá ocorrer em breve na região para combater o desmatamento e do loteamento irregular em Parelheiros, distrito rural localizado no extremo sul da cidade de São Paulo.

Leia tudo sobre: São PauloCrise da ÁguaSabespGuarapirangaiGSP

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas