Após pressão em protesto, representantes do MTST se reúnem com vereadores

Por Natália Peixoto , iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Representantes do movimento tiveram reuniões para tentar incluir terreno ocupado em emenda do Plano Diretor

Aproximadamente 2,5 mil manifestantes do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST), segundo estimativa da Polícia Militar (PM), se concentraram em frente à Câmara Municipal de São Paulo na tarde desta quarta-feira (28). A movimentação começou na Praça da República, seguiu pelas ruas do centro paulistano e acabou em frente à Câmara Municipal da cidade. Representantes do grupo falam em 5 mil presentes.

Boulos: Líder do MTST afirma que protestos serão intensificados durante a Copa

Vídeo: 3 mil sem-teto perto do Itaquerão: “Quero ver o Neymar e a Dilma dormindo aqui”

Manifestantes pressionam por solução para a ocupação Copa do Povo na votação do Plano Diretor Estratégico da capital. Foto: Natália Peixoto / iG São PauloIntegrantes do MTST concentrados em frente à Câmara Municipal de São Paulo. Foto: Natália Peixoto / iG São PauloIntegrantes do MTST se concentram na Praça da República, no centro de São Paulo, nesta quarta-feira (28). Foto: Divulgação/MTSTIntegrantes do MTST se concentram na Praça da República, no centro de São Paulo, nesta quarta-feira (28). Foto: Divulgação/MTSTIntegrantes do MTST se concentram na Praça da República, no centro de São Paulo, nesta quarta-feira (28). Foto: Divulgação/MTSTIntegrantes do MTST se concentram na Praça da República, no centro de São Paulo, nesta quarta-feira (28). Foto: Divulgação/MTSTIntegrantes do MTST se concentram na Praça da República, no centro de São Paulo, nesta quarta-feira (28). Foto: Divulgação/MTSTIntegrantes do MTST se concentram na Praça da República, no centro de São Paulo, nesta quarta-feira (28). Foto: Divulgação/MTST

O objetivo da manifestação foi pressionar os vereadores da casa a incluir no Plano Diretor Estratégico uma medida que aprova o terreno ocupado em Itaquera, conhecido como Copa do Povo, como área para moradia popular - ZEIS (Zonas Especiais de Interesse Social). 

Plano Diretor Estratégico: Entenda o que pode mudar em São Paulo

Representantes do movimento como Guiherme Boulos, coordenador e principal porta-voz do MTST, se reuniram com o presidente da Câmara, José Américo, e outros vereadores durante a tarde. No encontro, foi prometido que a emenda para incluir o terreno no Plano Piloto será colocada em edital até esta sexta-feira (30) e irá para votação ainda antes do início da Copa do Mundo no País - entre 9 e 10 de junho.

À noite, Boulos e outros integrantes do grupo ainda se encontraram com representantes dos governos federal, estadual e municipal para discutir soluções para a área do terreno, já que a aprovação da emenda não garante o a seus atuais ocupantes, tampouco as questões relacionadas à educação e à implementação de projetos do MTST em seu interior.

O terreno fica em uma área considerada de zona industrial, o que a impede de ser usada atualmente para moradia. A ideia é transformá-la em uma zona residencial. 

De acordo com a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), os manifetantes ocuparam a esquina da Praça da República com a avenida Ipiranga até o prédio da Câmara, que fica no viaduto Jacareí. Os integrantes do MTST iniciaram o protesto às 15h e dispersaram por volta das 18h

Câmeras em avenidas de São Paulo: Veja como está o trânsito na capital paulista

A intenção do movimento é reunir entre 6 a 8 mil trabalhadores sem-teto de várias ocupações da capital. Ainda nesta quarta-feira, haverá uma reunião na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) para buscar avançar na negociação da ocupação.

Leia tudo sobre: protestosão pauloigspmtstsem tetoplano diretor

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas