Polícia descobre que suspeito de matar professor em assalto já estava preso

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Professor foi morto em 8 de abril em frente a supermercado. Quinze dias depois, jovem detido com documento falso em SP

A Polícia Civil de São Paulo descobriu que um dos suspeitos de matar o professor Gomides Vaz de Lima Neto, em 8 de abril, durante roubo na Vila Mariana, zona sul da capital, estava preso desde o dia 23 do mesmo mês. O professor foi morto em frente a um supermercado, enquanto esperava a namorada fazer compras. 

O caso: Professor é morto durante assalto em São Paulo

Veja abaixo imagens dos suspeitos:

Imagens dos dois suspeitos de matar o professor durante tentativa de assalto em São Paulo. Foto: ReproduçãoImagens dos dois suspeitos de matar o professor durante tentativa de assalto em São Paulo. Foto: ReproduçãoImagens dos dois suspeitos de matar o professor durante tentativa de assalto em São Paulo. Foto: ReproduçãoImagens dos dois suspeitos de matar o professor durante tentativa de assalto em São Paulo. Foto: ReproduçãoImagens dos dois suspeitos de matar o professor durante tentativa de assalto em São Paulo. Foto: Reprodução

Segundo a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP), durante a investigação do caso, policiais da Delegacia de Investigações sobre Roubo e Latrocínio (1ª Patrimônio) do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) identificaram dois suspeitos de serem os autores do crime e descobriram que um deles já estava preso. 

Mais: Em SP, 34,2% das vítimas de homicídio têm entre 15 e 29 anos

De acordo com a polícia, com a indetificação, os suspeitos de 18 e 19 anos passaram a ser monitorados pelos sistemas de cruzamento de informações. Os policiais constataram que um deles, que usava documento falso, tinha sido detido em 23 de abril, na região do Belém, zona leste. A equipe do Deic requisitou o preso, que teria confessado o crime. O outro identificado teve prisão decretada e está foragido.

Mesmo depois do jovem estar preso, a polícia de São Paulo lançou um programa para recompensar em até R$ 50 mil denúncias sobre crimes. O caso do professor foi um dos primeiros a entrar nesta ação.

O caso

O professor Gomides Vaz de Lima Neto, de 46 anos, foi morto durante um assalto em frente a um supermercado, no dia 8 de abril, na rua Abílio Soares, na Vila Mariana, zona sul da capital.

A Polícia Civil ja havia divulgado as imagens dos suspeitos. Eles foram flagrados pelas câmeras de circuito interno de um edifício na rua Maracai, no bairro Cambuci, após abandonarem o veículo que roubaram do professor. As imagens da filmagem apreendida pela polícia foram congeladas.

Lima Neto estava dentro de um VW Golf branco enquanto aguardava por sua namorada, que fazia compras. A dupla de assaltantes anunciou o roubo e atirou duas vezes nele, que foi socorrido ao Pronto Socorro Vergueiro, onde morreu. O latrocínio foi registrado no 78º Distrito Policial (Jardins) e foi investigado pela 1ª Patrimônio.

Leia tudo sobre: igspsão pauloprofessor mortoviolência

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas