Greve afetou cerca de 240 mil pessoas nas cidades de Carapicuíba, Barueri, Santana de Parnaíba, Itapevi, Jandira, Cotia e Pirapora do Bom Jesus e Osasco

Os motoristas e cobradores de ônibus das viações Osasco e Urubupugá decidiram, em assembleia realizada na tarde deste sábado, terminar a paralisação que afetava oito cidades da região metropolitana de São Paulo. 

Greve de motoristas e cobradores afeta dez cidades da Grande São Paulo

Segundo representantes dos motoristas, o reajuste salarial será decidido nos próximos dias, mas a categoria aceitou proposta que prevê pagamento do intervalo para refeições, estabilidade de 90 dias e pagamento dos dias parados. 

Além de Osasco, a  greve afetou cerca de 240 mil pessoas nas cidades de  Carapicuíba, Barueri, Santana de Parnaíba, Itapevi, Jandira, Cotia e Pirapora do Bom Jesus. 

Na região do ABC, os motoristas e cobradores da empresa MobiBrasil, que atende as cidades de Diadema e São Bernardo do Campo, voltaram ao trabalho nesta sexta-feira (22). A categoria, que pedia equiparação salarial com os colegas do ABC, não foi atendida. Agora eles pedem aumento salarial de R$ 1.850 para R$ 2.222 (piso da categoria em São Paulo). Representantes da empresa prometeram apresentar uma proposta na próxima terça-feira. Os trabalhadores prometem nova paralisação, caso a revindicação não seja atendida. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.