Índice de lentidão medido pela Companhia de Engenharia de Tráfego chegou a 168 quilômetros, o maior do ano nas manhãs

Apesar da paralisação de ônibus ser a menor dos últimos três dias em São Paulo, a capital paulista registrou, nesta quinta-feira (22), o recorde de lentidão do horário de pico da manhã em 2014. 

Câmeras nas principais avenidas: Veja como está o trânsito em São Paulo

Greve: Última empresa de ônibus parada volta a circular em São Paulo

Trânsito intenso na avenida Washington Luís, em frente ao aeroporto de Congonhas, na zona sul de São Paulo (SP), em direção ao centro, na manhã desta quinta-feira (22)
Renato S. Cerqueira/Futura Press
Trânsito intenso na avenida Washington Luís, em frente ao aeroporto de Congonhas, na zona sul de São Paulo (SP), em direção ao centro, na manhã desta quinta-feira (22)

Segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), às 9h30 desta quinta-feira, a capital paulista registrou 168 quilômetros de lentidão. A CET informou que a média para esse horário varia entre 69km e 95km. 

O último recorde havia sido no dia 25 de abril, com 142 km de ruas e vias congestionadas. O recorde histórico é do dia 14 de novembro, véspera de feriado: foram 307 km de filas na cidade.

Às 12h, o índice havia caído para 83 quilômetros, ja dentro da média esperada para o horário. Os piores trechos, segundo a CET, estão na Marginal Tietê, avenida Washington Luís, Radial Leste e avenida Nove de Julho.

Trens: Queda de energia prejudica a circulação na Linha 8-Diamante da CPTM

Apesar de menos intensa, a paralisação de motoristas e cobradores – que está no terceiro dia – continua provocando transtornos na cidade. Eles estão insatisfeitos com o acordo fechado entre o sindicato da categoria e as empresas de ônibus.

Na manhã de hoje, duas garagens da Viação Santa Brígida, que opera 80 linhas das zonas norte e oeste da capital paulista, amanheceram fechadas. Essa paralisação afeta o funcionamento do Terminal Pirituba, na zona oeste. 

Além disso, alguns ônibus foram deixados ao longo da avenida Inajar de Souza, próximo ao Terminal Vila Nova Cachoeirinha, na zona norte da capital paulista. Segundo a São Paulo Transportes (SPTrans), os pneus dos carros foram furados. Também houve tentativa de fechamento do terminal. A Polícia Militar foi chamada ao local.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.