Terminais de ônibus são liberados e parte das linhas volta a operar em SP

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Deve acabar a partir de meia-noite a paralisação deflagrada, na manhã de ontem, por um grupo de motoristas insatisfeitos com o acordo coletivo aprovado pela assembleia da categoria

Agência Brasil

No início da noite de hoje (21), quase todos os 14 terminais ônibus que tinham sido bloqueados por motoristas e cobradores foram liberados. Segundo a São Paulo Transportes (SPTrans), empresa que administra o transporte municipal paulistano, apenas os terminais Lapa, na zona oeste, e Campo Limpo, na zona sul, ainda estavam com as saídas fechadas. Apesar de parte da categoria permanecer em greve, algumas linhas voltaram a operar.

Protesto de motoristas e cobradores da Viação Santa Brígida, em São Paulo, nesta quinta-feira (22). Foto: Marcos Bezerra/Futura PressTerminal da Barra Funda vazio, em São Paulo, nesta quarta-feira (21), após a paralisação de motoristas e cobradores. Foto: Alice Vergueiro/Futura PressEm coletiva, o secretario municipal dos Transportes, Jilmar Tatto, defende uma investigação policial dentro do Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus. Foto:  Taba Benedicto/Futura PressÔnibus não saem da garagem da viação Santa Brígida, na zona oeste, nesta quarta-feira. Foto: Alex Falcão/Futura PressMotoristas e cobradores realizam protesto e fecham a garagem da viação de ônibus Sambaíba, em São Paulo, SP, na madrugada desta quarta-feira (21). Foto: Edison Temoteo/Futura PressMotoristas e cobradores de ônibus fazem paralisação e fecham Terminal Sacomã, em São Paulo. Foto: Renato Mendes/Futura PressMotoristas e cobradores de ônibus fazem paralisação e fecham Terminal Bandeiras, em São Paulo  . Foto: Renato S.Cerqueira/Futura PressEstação da Sé fica lotada por causa das paralisações dos terminais de ônibus nesta terça-feira (20), em São Paulo. Foto: Futura PressMotoristas e cobradores de ônibus fazem paralisação e fecham Terminal Sacomã, zona sul de São Paulo (SP), nesta terça-feira (20). Foto: Futura PressGreve provocou fila de ônibus nas ruas de São Paulo. Foto: Alexandre Serpa/Futura PressMotoristas e cobradores de ônibus se reúnem para reivindicar reajuste salarial e causam trânsito na região da Prefeitura de São Paulo, nesta terça-feira (20). Foto: Futura PressMotoristas e cobradores fecham terminal Santana, na zona norte da cidade, nesta terça-feira (20). Foto: Futura PressFuncionários fazem paralisação e fecham Terminal Parque Dom Pedro, em São Paulo (SP), nesta terça-feira (20). Foto: Futura PressFila de ônibus causa lentidão no trânsito da Avenida Eusébio Matoso em São Paulo (SP), nesta terça-feira (20). Foto: Futura PressMotoristas e cobradores de ônibus fazem paralisação e fecham Terminal Bandeiras, na República, em São Paulo. Foto: Futura PressMotoristas e cobradores de ônibus fazem paralisação no Terminal da Lapa, na Zona Oeste de São Paulo (SP), na manhã desta terça-feira (20). Foto: André Lucas Almeida/Futura Press

No Terminal Parque Dom Pedro Segundo, no centro da capital, os passageiros esperavam em pequenas filas nas plataformas. Em alguns pontos, o letreiro luminoso indicava que a linha estava sem operação. O balconista Joqauim Francisco contou que já estava há meia hora esperando o ônibus que, em dias normais, passa em intervalos de 15 minutos. “Cheguei e o ônibus estava aqui. Mas tive que esperar a minha esposa e agora ele não passa mais”, reclamou.

Leia também: Motoristas e cobradores fecham acordo e encerram greve a partir da 0h

 Haddad ameaça sindicalistas com multa: “prefeitura está em dia com os contratos”

A auxiliar de limpeza Maria da Silva contou que esperava ter um retorno mais tranquilo hoje. Ontem (19), ela teve que caminhar cerca de uma hora para chegar em casa. Para ir ao trabalho hoje de manhã, peg uma lotação. Apesar do serviço ser clandestino, Maria disse não ter reclamações. “Vim sentada, né”.

Deve acabar a partir de meia-noite a paralisação deflagrada, na manhã de ontem, por um grupo de motoristas insatisfeitos com o acordo coletivo aprovado pela assembleia da categoria. Os trabalhadores decidiram finalizar o movimento após quase três horas de reunião, na Superintendência Regional do Ministério do Trabalho, com a presença dos advogados dos sindicatos patronais e de representantes da prefeitura e dos trabalhadores.

Amanhã (22), o superintendente do ministério, Luiz Antônio Medeiros, irá, com os trabalhadores, pedir ao prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, que converse com os empresários para que reabram as negociações salariais.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas