Virada Cultural teve 105 ocorrências e 128 pessoas detidas em São Paulo

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Segundo a Santa Casa de Misericórdia, quatro pessoas tiveram ferimentos graves: três tinham sido baleadas e uma, esfaqueada

Durante a décima edição da Virada Cultural, a Polícia Militar (PM) deteve 128 pessoas, das quais 20 eram menores de idade. Segundo balanço da PM divulgado nesta segunda-feira (19), houve 105 ocorrências policiais. Desse total, 21 foram flagrantes de roubo, que levaram à prisão de 27 pessoas.

Leia também: Virada Cultural tem noite de arrastões, baleados e detidos em São Paulo

Policiais fazem averiguações em suspeitos de participação em roubos durante a Virada Cultural, em São Paulo. Foto: Gutemberg Gonçalves/Futura PressDetido é levado por policiais militares durante a Virada Cultural, neste domingo (18), em São Paulo. Foto: Gutemberg Gonçalves/Futura PressPoliciais Militares realizam abordagens em suspeitos de arrastão próximo ao Mosteiro de São Bento, durante a 10° Edição da Virada Cultural, no centro de São Paulo. Foto: Leonardo Benassatto/Futura Press

A PM informou que também apreendeu seis armas de fogo, dez armas brancas, 25 comprimidos de ecstasy, 363 pinos de cocaína, 1042 frascos de lança perfume e 13 pedras de crack durante o evento. Para fazer a segurança do evento, a Polícia Militar trabalhou com 2.702 policiais e 287 viaturas, além de um helicóptero Águia.

Segundo a Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, 80 pessoas foram atendidas no hospital por problemas como mal súbito, agressão ou intoxicação alcoólica. Quatro estavam em estado grave: três tinham sido baleadas e uma, esfaqueada. Três dessas pessoas continuam internadas em estado grave na Santa Casa. A quarta vítima foi transferida para outra unidade de saúde, cuja localização não foi divulgada.

Para evitar problemas nas edições dos próximos anos, a PM disse que deverá propor mudanças. “Neste ano, o espaço para o evento foi reduzido, justamente para facilitar o planejamento e a organização. No aspecto segurança, apesar do lamentável registro de infrações em geral, essa modificação já apresentou resultados positivos, devendo-se discutir, para as próximas edições, outras mudanças de formato para aperfeiçoar a segurança e potencializar a tranquilidade das pessoas”, informou a polícia, que não detalhou quais medidas serão apresentadas.

Em entrevista nesta segunda-feira, o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, descartou alterações. "A programação e a logística da Virada foi fechada com a Polícia Militar. Não existe uma recomendação da polícia a ser seguida ou não pela prefeitura. Esse é um equívoco conceitual. Nós trabalhamos a quatro mãos", disse o prefeito, referindo-se às secretarias da Cultura do estado, Cultura do município, Segurança Urbana e Segurança Pública de São Paulo.

“A minha impressão é que os frequentadores aprovaram a Virada, tanto do ponto de vista da programação quanto da iluminação e limpeza. A questão da violência, sobretudo na madrugada, a informação que tive é que a polícia atuou firmemente e no estrito cumprimento do dever e da legalidade”, avaliou Haddad. "Para nós, é importante que a polícia tenha se feito notar e tenha agido para coibir os abusos de uma cidade que a gente sabe que enfrenta uma questão grave de segurança pública. Mas é com mais cultura que nós vamos corrigir esse problema e não com menos", ressaltou.

Leia tudo sobre: virada culturalsão pauloigspviolência

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas