SP lança programa que recompensará em até R$ 50 mil denúncias sobre crimes

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Governo usará um cartão bancário virtual com sigilo do denunciante. Informação sobre foragido também será paga

O governo de São Paulo lançou nesta terça-feira (6) o Programa Estadual de Recompensa, que pagará até R$ 50 mil para o denunciante que tiver informações que ajudem a polícia a esclarecer delitos ou localizar foragidos da Justiça.

Leia também:
Roubos mantêm alta de mais de 40% em São Paulo em 2014; homicídios caem

Divulgação/SSP
Secretário da Segurança Pública, Fernando Grella Vieira, durante lançamento do programa em São Paulo

Os primeiros casos, que terão recompensa de R$ 5 mil, são para identificar e prender os autores dos latrocínios do professor Gomides Vas de Lima Neto, de 46 anos, e do aposentado Benedito Virgulino, de 69 anos.

Lima Neto foi morto por dois suspeitos no dia 8 de abril durante um assalto em frente a um supermercado, na Vila Mariana, zona sul da capital. Virgulino foi assassinado por dois assaltantes em um ônibus no dia 4 de abril, na Cidade Líder, zona leste de São Paulo, após sacar dinheiro em uma agência bancária.

“O governo faz tudo para fortalecer o trabalho da polícia. O denunciante receberá a recompensa através de uma informação que leve a elucidação de um crime ou que leve a prisão de um criminoso. A parceria entre a população e a polícia é a marca e o DNA do povo paulista”, disse o governador Geraldo Alckmin.

“Este é um passo importante, pois renova de maneira efetiva a participação do cidadão. Temos certeza que é uma ação que fortalecerá o trabalho policial”, afirmou o secretário da Segurança Pública, Fernando Grella Vieira.

Serão publicadas amanhã no Diário Oficial do Estado as resoluções do secretário que oficializam o início do Programa Estadual de Recompensa e da inclusão dos dois primeiros casos.

Fevereiro: Número de roubos dispara no Estado e na capital paulista no início de 2014

Janeiro: Número de roubos cresce 41,8% na capital paulista; homicídios sobem 2%

Recompensa

O modelo do programa mantém em sigilo a identidade do denunciante durante todo o processo, inclusive no pagamento da recompensa. As denúncias para o Programa Estadual de Recompensa serão feitas no WebDenúncia. O interessado em denunciar fará o procedimento normal no serviço online e terá assegurado o seu anonimato.

Ao final do processo, o denunciante recebe um número de protocolo e uma senha para que ele possa acompanhar anonimamente o uso da sua informação, assim como é feito em todos os casos da ferramenta online.

Nesta seção de acompanhamento, o denunciante será informado se a sua informação foi recompensada e receberá um número de cartão bancário virtual, que permitirá saques da recompensa em qualquer caixa eletrônico do Banco do Brasil, sem a necessidade de que ele se identifique. A quantia poderá ser retirada de uma vez ou aos poucos, assim como é feito com um cartão bancário comum.

“A senha é gerada por meio do protocolo, que apenas o denunciante terá acesso. É um sistema inovador que garante o pagamento e o anonimato”, explicou Grella.

Este sistema não exige cadastro. O WebDenúncia conta com dupla criptografia de dados, o que impede qualquer pessoa de invadir o sistema. Os recursos para o programa partirão do Fundo de Incentivo à Segurança Pública (Fisp), que é administrado pela Secretaria da Segurança. A verba será liberada ao Fundo quando for necessário efetuar um pagamento.

Como vai funcionar a recompensa

Poderá receber a recompensa o denunciante que encaminhar informações que contribuam de maneira relevante para a polícia esclarecer um crime, ou seja, aqueles que informarem dados que resultem na identificação do autor ou na localização e prisão de um procurado pela Justiça.

A importância de informações para o Programa Estadual de Recompensa será analisada de acordo com cada caso denunciado. A decisão final sobre o pagamento da recompensa ficará a cargo do secretário da Segurança Pública.

Primeiros casos

A Polícia Civil já divulgou as imagens dos suspeitos pela morte do professor Gomides Vas de Lima Neto. Eles foram flagrados pelas câmeras de circuito interno de um edifício na Rua Maracai, no bairro Cambuci, após abandonarem o veículo que roubaram do professor. As imagens da filmagem apreendida pela polícia foram congeladas.

Lima Neto estava dentro de um VW Golf branco enquanto aguardava por sua namorada, que fazia compras em um supermercado na rua Abílio Soares, na Vila Mariana. A dupla de assaltantes anunciou o roubo e atirou duas vezes nele, que foi socorrido ao Pronto Socorro Vergueiro, onde morreu.

O latrocínio foi registrado no 78º Distrito Policial (Jardins) e está sendo investigado pela 1ª Patrimônio (Delegacia de Investigações sobre Roubos e Latrocínios), do Deic (Departamento Estadual de Investigações Criminais).

O aposentado Benedito Virgulino morreu durante um assalto, na avenida Líder, bairro Cidade Líder, zona leste da Capital. O idoso realizou um saque em uma agência bancária pouco antes de embarcar em um ônibus na mesma avenida. A vítima foi abordada por dois homens armados que entraram no veículo.

A dupla exigiu o dinheiro que o aposentado tinha sacado. Os passageiros desceram do coletivo e ouviram um disparo. O idoso foi atingido e morreu no local. Os dois suspeitos fugiram. O caso foi registrado no 53º Distrito Policial (Parque do Carmo) como latrocínio.

Leia tudo sobre: são pauloigspdenúnciascrimescriminalidade

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas