Nível de água do sistema Cantareira cai a menos de 11% pela primeira vez

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Nível do sistema Cantareira atingiu 10,9% nesta terça-feira (29), após um dia estacionado na marca dos 11%

O nível de água do Sistema Cantareira, que abastece mais da metade da região metropolitana de São Paulo, manteve a trajetória de queda e ficou abaixo do nível de 11% pela primeira vez na história, segundo dados no site da Sabesp nesta terça-feira (29). O nível do sistema atingiu 10,9%, após um dia estacionado na marca dos 11%.

Leia também:

Agência de Águas defende medidas restritivas para Sistema Cantareira
Órgãos federais tentam evitar que disputas por água cheguem à Justiça
Desconto para economia de água passa a valer em 31 cidades de São Paulo

Veja dicas para reduzir o consumo de água:

Sabesp recomenda colocar bacia sob o chuveiro e usar água coletada para lavar roupa. Encurtar banho de ducha de 15 para 5 minutos economiza 90 litros de água. Foto: Thinkstock/Getty ImagesControle de vazamento ajuda a evitar desperdício. Fechar os registros à noite e ver de manhã se o hidrômetro está funcionando ajuda a conferir a presença vazamentos. Por menor que seja, deve ser reparado. Foto: Thinkstock PhotosÁgua da lava-louça não deve ser reutilizada pelo excesso de gordura e resíduos orgânicos. Ideal é usar o equipamento apenas quando estiver cheio ou usar uma bacia na lavagem. Foto: Getty ImagesA água da máquina de lavar roupas pode ser reaproveitada na lavagem de pisos ou descarga sanitária. Foto: Thinkstock PhotosInfiltrações indicam vazamentos, que devem ser reparados para evitar desperdício. Foto: Ricardo Galhardo/iG São PauloÁgua da máquina de lavar roupas ou captada pela água da chuva pode ser reaproveitada para uso como descarga sanitária. Foto: DivulgaçãoVassoura seca deve substituir a mangueira na limpeza das calçadas. Em 15 minutos  de lavagem, perde-se 279 litros de água, segundo a Sabesp. Foto: DivulgaçãoLavar o carro não é recomendável. Se a limpeza for extremamente necessária, o ideal é procurar um posto de lavagem a seco ou usar apenas balde e pano. Foto: NYT

O Cantareira, que também abastece cidades do interior paulista, tem registrado nível baixo desde o final do ano passado, diante de chuvas abaixo da média histórica desde meados do ano passado e temperaturas elevadas no início deste ano. Em março, o volume de chuvas foi ligeiramente superior à média pela primeira vez desde junho de 2013.

O secretário de Saneamento e Recursos Hídricos do Estado de São Paulo, Mauro Arce, afirmou em entrevista à rádio CBN que o governo estadual iria multar em até 30% os consumidores da Grande São Paulo que aumentarem o consumos de água. Durante o fim de semana, o governador Geraldo Alckmin confirmou a iniciativa, que deve começar no próximo mês.

O recuo no nível de água ocorre apesar de a Sabesp ter ampliado programa de desconto nas contas de água dos consumidores que reduzirem em 20% o consumo de água em relação a média dos 12 meses anteriores, o que obrigou a empresa a rever investimentos e a fazer contingenciamentos de orçamento de R$ 700 milhões para este ano.

A média de chuvas no Cantareira em abril é bem menor que o nível histórico de março: 89,3 milímetros contra 184 milímetros do mês passado. A média cai em maio para 83,2 milímetros, recuando a 56 milímetros em junho, 49,9 milímetros em julho e 36,9 milímetros em agosto, tradicionais meses de pluviosidade reduzida.

Leia tudo sobre: sistema cantareirachuvasreservatórioníveláguaigsp

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas