Governador Geraldo Alckmin confirmou que quem aumentar o consumo na região metropolitana será multado em até 30%

As represas que formam o mais importante conjunto de reservatórios de água que abastece a região metropolitana de São Paulo, o Sistema Cantareira, baixaram para 11% a capacidade total armazenamento nesta segunda-feira (28), segundo dados da Sabesp.

Veja como economizar: saiba como reduzir o consumo dentro de casa
Sabesp diz que São Paulo tem segurança no abastecimento de água até o fim do ano

Veja dicas para reduzir o consumo de água:

O Cantareira, que também abastece cidades do interior paulista, tem registrado nível baixo desde final do ano passado, diante de chuvas abaixo da média histórica desde meados do ano passado e temperaturas elevadas no início deste ano. Em março, o volume de chuvas foi ligeiramente superior a média pela primeira vez desde junho de 2013.

O secretário de Saneamento e Recursos Hídricos do Estado de São Paulo, Mauro Arce, afirmou em entrevista a rádio CBN que o governo estadual iria multar em até 30% os consumidores da Grande São Paulo que aumentarem o consumos de água. Durante o fim de semana, o governador Geraldo Alckmin confirmou a iniciativa, que deve começar no próximo mês.

O recuo no nível de água ocorre apesar da Sabesp ter ampliado programa de desconto nas contas de água dos consumidores que reduzirem em 20% o consumo de água em relação a média dos 12 meses anteriores, o que obrigou a empresa a rever investimentos e a fazer contingenciamentos de orçamento de RS 700 milhões para este ano.

A média de chuvas no Cantareira em abril é bem menor que o nível histórico de março: 89,3 milímetros contra 184 milímetros do mês passado. A média cai em maio para 83,2 milímetros, recuando a 56 milímetros em junho, 49,9 milímetros em julho e 36,9 milímetros em agosto, tradicionais meses de pluviosidade reduzida.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.