Torre do Banespa, terceiro maior prédio de São Paulo, conta a história da cidade

Por Ana Flávia Oliveira - iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Com 35 andares e 161 metros de altura antiga sede do Banespa é um dos mais lembrados cartões postais de São Paulo

Sobre um mastro de nove metros de altura, a bandeira do Estado de São Paulo que tremula soberana no alto do prédio de 161 metros de altura, no centro da capital, é o principal símbolo do edifício Altino Arantes. Conhecido como Banespa ou Banespão, o terceiro maior prédio da cidade conta histórias da ascensão econômica do Estado e é um dos mais lembrados cartões postais paulistanos. 

Outros prédios:
Mirante do Vale: Fama do prédio mais alto do País é ofuscada por vizinhos
Copan: Prédio supera decadência para ser um dos prédios mais admirados do centro
Edifício Itália: Segundo prédio mais alto atrai por ter a melhor vista de São Paulo

O Altino Arantes. Foto: Carlos Della RoccaO prédio visto de baixo. Foto: Ana Flávia OliveiraTradicional edifício tem a bandeira do Estado de São Paulo no seu topo. Foto: Carlos Della RoccaEstrutura do prédio foi inspirada no Empire States, de Nova York. Foto: Carlos Della RoccaFachado do prédio no centro de São Paulo. Foto: Ana Flávia OliveiraAta da inauguração do banco. Foto: Ana Flávia OliveiraA maquete do prédio, no hall de entrada do Altino Arantes. Foto: Ana Flávia OliveiraLustre do hall de entrada do prédio do Banespa. Foto: Ana Flávia OliveiraCofre original do banco Banespa no prédio no centro da capital paulista. Foto: Ana Flávia OliveiraVista do Mercado Municipal e da galeria Pagé (prédio colorido) . Foto: Ana Flávia OliveiraVista do Mirante do Vale, prédio mais alto de São Paulo. Foto: Ana Flávia OliveiraVista da Catedral da Sé, à esquerda. Foto: Ana Flávia OliveiraVista da sede do Banco do Brasil e da avenida São João. Foto: Ana Flávia OliveiraVista do prédio. À esquerda, o Mercado Municipal. Foto: Ana Flávia OliveiraSede da Prefeitura de São Paulo pode ser vista do Altino Arantes. Foto: Ana Flávia OliveiraVista panorâmica da capital paulista. Foto: Ana Flávia OliveiraVista panorâmica da capital paulista. Foto: Ana Flávia OliveiraVista panorâmica da capital paulista. Foto: Ana Flávia OliveiraVista panorâmica da capital paulista. Foto: Ana Flávia Oliveira

O iG publica toda sexta-feira um especial com os edifícios mais emblemáticos da capital paulista. Será publicada uma reportagem por semana

Na estreita rua João Brícola, no centro histórico da capital, o pedestre desatento pode passar na frente do edifício e não reconhecê-lo. Isso porque a cor marrom na parte de baixo da fachada se perde entre tantas outras iguais na região. 

Uma vez dentro do prédio, o visitante é saudado pela grandiosidade do saguão principal, que tem 379 metros quadrados e pé-direito de 16 metros de altura. O lustre central, com 13 metros de altura, dois metros de diâmetro, 1,5 tonelada e 900 lâmpadas é atração a parte e se destaca no meio do hall.

Para chegar ao mirante e ser brindado com uma uma vista deslumbrante de 360º da cidade, o visitante precisa superar 35 andares (de elevador, é claro - são nove no total). Em boas condições climáticas, é possível ver até 40 km de distância, sendo um ótimo convite para conhecer São Paulo.

Carlos Della Rocca
Tradicional edifício tem a bandeira do Estado de São Paulo no seu topo

A vista panorâmica e um casal de amigos foram os principais incentivos para que o bacharel em Direito Daniel Muhata, 26 anos, que nasceu em Ângola, visitasse o prédio pela primeira vez na última terça-feira. “Já conheço São Paulo, mas ver por cima é muito melhor”, disse após visitar o mirante.

O casal Letícia Coelho Aquino, 48 anos, e Danilo Dias, 51 anos, são catarinenses e trouxeram o filho, João Vitor, de 11 anos, para conhecer o Banespão. “Viemos passar o feriado de Páscoa e esticamos um pouco mais. Gostamos muito de São Paulo e levamos o João Vitor para conhecer vários pontos da cidade”, disse Letícia. O menino, impressionado com a altura, disse ter ficado com medo. “Mas achei legal”, definiu a experiência. Por questões de segurança, o tempo de permanência máxima é de cinco minutos.

As visitas são gratuitas, de segunda à sexta-feira, das 10h às 15h. É preciso levar um documento com foto e menores deve estar acompanhado dos pais ou responsáveis.

Veja a visão panorâmica do alto do prédio:

Importância histórica

Carregado de histórias que ajudam a recontar e entender o desenvolvimento econômico do Estado, o edifício Altino Arantes pertence atualmente ao banco espanhol Santander, que comprou todo o patrimônio do Banespa no ano 2000. O Banco do Estado de São Paulo (Banespa), incialmente batizado de Banco de Crédito Hipotecário e Agrícola do Estado de São Paulo, nasceu na necessidade de financiar o setor cafeeiro, a principal locomotiva do Estado no final do século 19 e começo do século 20.

O crescimento do banco foi atrelado ao do Estado e na década de 1930 aventou-se a necessidade de uma sede maior e imponente. Em 1939, foi assinada a ata para a construção do prédio, que foi inaugurado em 1947, após cinco anos de obras.

Leia também: Veja quais são os dez prédios mais altos de São Paulo

O projeto do arquiteto Plínio Botelho do Amaral foi inspirado do Empire State Buildind, de Nova York, e não tinha o mirante. Por causa dessa inclusão no projeto, ainda durante a construção, o "Empire States brasileiro" foi durante quase 20 anos, o prédio mais alto do País, até ser superado pelo Mirante do Vale, no Anhagabau, inaugurado em 1966.

Em 1948, foi considerado a maior estrutura em concreto armado do mundo.

Projetado para ser a sede do banco, o prédio tem capacidade para receber cerca de 3 mil funcionários. Mas atualmente, a diretoria espanhola transferiu boa parte dos setores para outros prédios e apenas cerca de 380 trabalhadores atuam em alguns setores administrativos, que ainda permanecem no prédio.

A importância histórica do prédio foi reconhecida em 1992 pelo município e o Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artistico e Turístico (Condephaat), do Estado aprovou o tombamento do prédio apenas em 2011.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas