No Vale do Anhangabaú, fama do prédio mais alto do País é ofuscada por vizinhos

Por Renan Truffi , iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Se por fora o edifício não costuma chamar tanta atenção quanto concorrentes, por dentro impressiona pelas dimensões

"Não é o prédio do Banespa?" responde o taxista confuso ao ser questionado se sabia que o Mirante do Vale é o edifício mais alto do Brasil. Localizado no Vale do Anhangabaú, no centro de São Paulo, o arranha-céu de 1966 ainda sofre com a concorrência dos vizinhos. Com 170 metros de altura e 51 andares, o prédio fica em uma região mais baixa da cidade e, por isso, acaba ofuscado pela Torre do Banespa, a poucos metros de distância, e pelo Edifício Itália.

Leia também: Veja quais são os dez prédios mais altos de São Paulo

Fachada do gigante Mirante do Vale, no Vale do Anhangabau. Foto: Tomás Senna / acervo W ZarzurO maior prédio do Brasil, na região central de São Paulo. Foto: Wikimedia CommonsO prédio mais alto do Brasil em construção. Foto: Acervo W ZarzurParte da vista atual da cobertura do prédio. Foto: Tomás Senna / acervo W ZarzurParte da vista atual da cobertura do prédio. Foto: Tomás Senna / acervo W ZarzurVista parcial da cobertura do prédio. Foto: Tomás Senna / acervo W ZarzurParte da vista atual da cobertura do prédio. Foto: Tomás Senna / acervo W ZarzurVista do Vale do Anhangabaú antes da construção do Palácio W. Zarzur. Na parte inferior dá para ver o viaduto Santa Ifigênia. Foto: Acervo W Zarzur

O iG abre nesta semana um especial com o edifícios mais emblemáticos da capital paulista. Será publicada uma matéria por semana, sempre às sextas-feiras

Mas, se por fora o Mirante do Vale não costuma chamar tanta atenção quanto os concorrentes, por dentro o prédio impressiona pelas dimensões. O edifício ocupa uma área de 75.000 metros quadrados, onde trabalham diariamente cerca de 10 mil pessoas, sendo que outras 30 mil passam pelo endereço em dias normais. Isso porque o prédio é ocupado, basicamente, por salas comerciais. São 812 unidades no total, entre escritórios de advocacia, sede de sindicatos e até escritório de cartomantes. Sem contar ainda os três primeiros andares, no quais ficam 146 unidades de lojas.

Com tantos pisos, lojas e escritórios, os elevadores são um parte fundamental para o funcionamento do prédio. Esta é a preocupação de José Rodrigues, um senhor franzino de 72 anos, que trabalha há 44 anos no prédio supervisionando o funciona das máquinas. "Qualquer problema que dá no elevador, eu vou lá. O ascensorista me chama e eu vejo. Se dá para eu tirar, eu tiro. Senão eu venho aqui na portaria e chamo o mecânico. Tem um dispositivo na casa de máquinas que a gente sabe quando ele travou. Eu mexo lá e ele já volta a funcionar. Se não for isso, complica. Aí é com o mecânico", explica.

Veja a vista panorâmica do alto do Mirante do Vale:

A pressa com que José Rodrigues desempenha o trabalho, andando em passos apertados entre os corredores do prédio para chegar na casa de máquinas o mais rápido possível, faz os colegas compará-lo a outra pessoa que também estava no prédio há muito tempo e não queira deixar o trabalho: o paulista Waldomiro Zarzur. Foi ele quem construiu o Mirante do Vale, que agora mudou de nome para Palácio W. Zarzur, em sua homenagem.

Até pouco tempo antes de morrer, aos 94 anos, o engenheiro ia todos os dias ao prédio, onde fica a sede da empresa que fundou. "Ele chegava aqui sempre às 7h30 com os três filhos. Eles chegavam juntos e iam embora juntos às 19h. Era forte, forte mesmo. Está fazendo uns dois ou três meses que ele morreu. Ultimamente ele ia embora um pouco mais cedo, meio-dia ou uma (13h) porque já estava com 94 anos também", conta Rodrigues.

Além do Mirante do Vale, Zarzur construiu outros edifícios importantes como o Hospital Albert Einstein, o Velódromo de Ibirapuera, além de ter sido responsável pela construção dos edifícios São Vito e Mercúrio, ambos na avenida do Estado e que acabaram demolidos. Apesar disso, o escritório da construtora sempre foi no edifício que fica no Anhagabaú, no 44º andar, um piso antes do início do mirante.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas