Três bairros da zona oeste de SP concentram 37% dos casos de dengue em 2014

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Foram registrados 208 casos da doença no Jaguaré, 114 no Rio Pequeno e 112 na Lapa, segundo a Secretaria da Saude

Roger Eritja/www.photolibrary.com/Extreme Insects/HarperCollins
o mosquito 'Aedes albopictus', transmissor da dengue

Os bairros de Jaguaré, Rio Pequeno e Lapa, todos na zona oeste de São Paulo, concentram a maior parte dos casos de dengue registrados na cidade no começo de 2014 e o surto preocupa moradores e agentes de saúde da região. 

Em 2014, a cidade registrou 1166 casos da doença entre janeiro de 1º de abril, 15,4% mais que os 1035 registrados no ano passado. Do total do primeiro trimestre, 37% (434) foram registrados apenas nos três distritos.

Leia também: Casos de dengue caem 80% no primeiro bimestre de 2014

De acordo com dados da Secretaria Municipal da Saúde, o distrito de Jaguaré registrou 208 casos da doença neste ano. Na análise sobre grupos de 100 mil habitantes, foram registrados 417,1 casos. O Ministério da Saúde considera como surto quando há acima de 300 casos para cada grupo de 100 mil habitantes.

Em segundo lugar no ranking, 114 pessoas foram infectadas pelo mosquito causador da dengue (96,2 casos para cada grupo de 100 mil). O distrito da Lapa aparece na sequência e registrou 112 casos no mesmo período (170,4 casos por 100 mil habitantes).

O secretário municipal da Saúde, José de Filippi Junior,disse que ausência de chuvas neste verão atrasou o aparecimento e transmissão da doença, já que as larvas do mosquito aedes aegypti dependem da água para chegarem na fase adulta, quando o mosquito se torna transmissor da doença. “O que identificamos é que existe uma defasagem em relação aos outros anos de duas a três semanas. Temos de nos preparar porque o pico que acontecia em março, vai acontecer em abril”, explicou o secretário.

A prefeitura não informou o motivo para o aumento na região, mas disse que vem realizando ações de bloqueio com a destruição de criadouros do mosquito. As equipes também têm distribuídos toucas para caixa d’água, uma tela fina que não permite a passagem dos mosquitos, como uma espécie de tampa provisória, até que o munícipe providencie a tampa definitiva do recipiente. Foi realizada também ação de bloqueio ampliada, conhecida como mutirão, que visa dificultar o avanço do mosquito.

Estado

No Estado de São Paulo, foram registrados 5.321 entre janeiro e fevereiro deste ano, redução de 86% em relação aos 38.945 casos diagnósticos no mesmo período do ano passado.

A queda também foi verificada em todo País, que reduziu em 80% a incidência da doença - de 427 mil notificações no primeiro bimestre de 2013 para 87 mil no mesmo período deste ano, segundo o Ministério da Saúde. De acordo com a pasta, no ano passado. 

Veja aqui a situação no seu bairro


Leia tudo sobre: IGSPdenguesurto

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas