Nível de água no sistema Cantareira volta a cair e registra pior marca: 15,2%

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Na última sexta, sistema registrou 15,5% e no sábado, 15,3%. As chuvas recentes não foram suficientes para encher reservatório

Neste domingo (16), o nível de água dos reservatórios do Sistema Cantareira voltou a cair e registrou a pior marca de sua história: 15,2%. Já na última sexta-feira (14), o volume de água era bem pequeno, 15,5%, e no sábado (15), diminuiu para 15,3%.

Confira fotos dos reservatórios de água do Sistema Cantareira

Sistema Cantareira tem o menor nível em duas décadas. Foto: Patricia StavisSistema Cantareira tem o menor nível em duas décadas. Foto: Patricia StavisSistema Cantareira tem o menor nível em duas décadas. Foto: Patricia StavisSistema Cantareira tem o menor nível em duas décadas. Foto: Patricia StavisSistema Cantareira tem o menor nível em duas décadas. Foto: Patricia StavisSistema Cantareira tem o menor nível em duas décadas. Foto: Patricia StavisSistema Cantareira tem o menor nível em duas décadas. Foto: Patricia StavisSistema Cantareira tem o menor nível em duas décadas. Foto: Patricia StavisSistema Cantareira tem o menor nível em duas décadas. Foto: Patricia StavisSistema Cantareira tem o menor nível em duas décadas. Foto: Patricia Stavis

Fevereiro: Nível de água do sistema Cantareira cai a 17,1%

Responsável pelo abastecimento de água para aproximadamente 9 milhões de pessoas, o sistema da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) na Grande São Paulo marcou, no mesmo período do ano passado, 58,7% de água. As chuvas recentes que caíram sobre a capital não foram suficientes para repor a ausência de água nos reservatórios - aumentou apenas 128,1 milímetros (mm).

A água dos reservatórios do Alto Tietê também diminuiu. Havia 38,5% na última sexta e neste domingo, a marca é de 38,2%. Já o reservatório do Guarapiranga aumentou o armazenamento de água para 75,6%. Na semana passada, o sistema marcava 74,4%.

Estado de alerta: Chuvas precisam triplicar para sistema Cantareira atingir nível ideal

No início do mês de fevereiro, a Sabesp anunciou o desconto de 30% nas contas onde houvesse diminuição de 20% no consumo de água. A campanha visa estimular o uso consciente de água.

Para que o volume de água armazenada atinja níveis minimamente aceitáveis, é preciso que a cabeceira do sistema receba pelo menos três vezes mais chuvas do que o normal, segundo estudo realizado pelo Consórcio Intermunicipal das Bacias dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí (PCJ). A pesquisa leva em conta a necessidade de consumo durante os meses de estiagem seca, que têm início em maio e terminam em setembro.

Embora os paulistanos tenham enfrentado fortes chuvas na última semana, a precipitação na região do sul de Minas Gerais, onde se formam os rios que abastecem o sistema Cantareira, não foi suficiente. Essa cabeceira está localizada nas cidades de Camanducaia, Extrema, Sapucaí-Mirim, Joanópolis e Nazaré Paulista.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas