SP reduz captação de água do sistema Cantareira a partir desta segunda

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Decisão não deve afetar o abastecimento e não provocará racionamento, de acordo com o governo do Estado

A captação de água do sistema Cantareira passa a ser reduzida a partir desta segunda-feira (10). O sistema tem batido recordes negativos de armazenamento de água desde o fim do ano passado, por conta do período de seca. No último fim de semana, depois que chuvas atingiram a cabeceira dos reservatórios, o nível apresentou pequena elevação, para 16,1%. Nesta segunda, houve nova queda, para 16%.  O nível é um dos mais baixos desde 1974. 

Nível de água do sistema Cantareira volta a registrar pequena elevação

Desperdício: São Paulo desperdiça quase um trilhão de litros de água por ano

Veja imagens do sistema Cantareira:

Sistema Cantareira tem o menor nível em duas décadas. Foto: Patricia StavisSistema Cantareira tem o menor nível em duas décadas. Foto: Patricia StavisSistema Cantareira tem o menor nível em duas décadas. Foto: Patricia StavisSistema Cantareira tem o menor nível em duas décadas. Foto: Patricia StavisSistema Cantareira tem o menor nível em duas décadas. Foto: Patricia StavisSistema Cantareira tem o menor nível em duas décadas. Foto: Patricia StavisSistema Cantareira tem o menor nível em duas décadas. Foto: Patricia StavisSistema Cantareira tem o menor nível em duas décadas. Foto: Patricia StavisSistema Cantareira tem o menor nível em duas décadas. Foto: Patricia StavisSistema Cantareira tem o menor nível em duas décadas. Foto: Patricia Stavis

O sistema Cantareira é responsável pelo abastecimento de metade da população da região metropolitana de São Paulo. A decisão de diminuir a retirada de água do manancial segue orientação da Agência Nacional de Águas (ANA) e do Departamento de Águas e Energia Elétrica.

Apesar da redução na captação de água, o governo do Estado de São Paulo diz que a decisão não afetará o abastecimento e não implicará racionamento. De acordo com o governo, o Sistema Cantareira será auxiliado pelos sistemas Alto Tietê (que está com 38,3% de sua capacidade) e Guarapiranga (70,6%). A campanha para economia de água também será intensificada.

O comitê anticrise montado para gerenciar a situação da Cantareira, emitiu um relatório, no último dia 18, com simulações sobre o que pode ocorrer com o nível dos reservatórios nos próximos meses, se não forem adotadas medidas emergenciais. Na pior das hipóteses, o volume útil do manancial se esgotaria em agosto deste ano, e a Grande São Paulo passaria a ser abastecida pelo volume morto, ou seja, a parte do reservatório que não é alcançada atualmente pelas bombas.

Leia tudo sobre: igspsão pauloabastecimentoáguafalta de água

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas