Polícia investiga se mulher empurrada em trilho do Metrô sofria ameaças

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Homem ainda não identificado usou as duas mãos para empurrar encarregada que esperava trem na plataforma

O delegado Osvaldo Nico Gonçalves, da Delegacia de Polícia do Metropolitano (Delpom), que investiga o caso da mulher que foi empurrada nos trilhos da estação Sé, do Metrô, em São Paulo na manhã de terça-feira (25), diz não acreditar que o autor da agressão tenha escolhido a vítima de maneira aleatória. A encarregada Maria da Conceição Oliveira, 27 anos teve o braço amputado ao ser atingida pelo trem que chegava na estação. 

Futura Press
Resgate de uma mulher após ser empurrada nos trilhos do Metrô na Estação Sé em São Paulo.

“Vamos ouvir a família, o namorado e a melhor amiga para conseguir alguma pista, se ela tinha alguma desavença com alguém, se ela tinha inimigos ou sofria ameaças porque, apesar das testemunhas dizerem que ele escolheu ela aleatóriamente, eu não acredito”, disse o delegado.

Nico Gonçalves diz que foi até a Santa Casa, na região central, na manhã desta quinta-feira (27), mas segundo ele, a vítima estava dormindo e não pode ser ouvida. O estado de saúde dela é considerado grave, mas estável, de acordo com a Santa Casa.

Camêras

A ação foi flagrada pelas câmeras do Metrô. Uma delas, que fica dentro da cabine do operador do trem, mostra o momento exato em que o homem usa as duas mãos para empurrar Maria da Conceição, na frente do trem que se aproximava.

Outras imagens mostram o homem saindo pelas catracas da estação, mas segundo o delegado nenhuma possibilitou a identificação do suspeito. “Ele aparece meio de lado, não dá para identificar o rosto dele direito”, disse Gonçalves.

O caso está sendo investigado como tentativa de homicídio.

CPTM

Na noite de terça-feira, uma mulher foi atingida na cabeça por um trem na estação da Luz, região central, após discutir com funcionários da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), que organizavam o embarque preferêncial. 

Segundo a polícia, Nivanilde da Silva Souza, 38 anos, que está grávida, queria embarcar no vagão preferencial e foi impedida por um estagiário de 17 anos. Ela foi segura por outros funcionários da CPTM e quando tentou se soltar, jogou o corpo para trás e foi atingida pelo trem que chegava à estação. A mulher está em coma. 

Leia tudo sobre: IGSPamputaçãometromulher

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas