Destino final dos criminosos seria o Paraguai. Integrantes da facção fizeram aulas de pilotagem na preparação para a fuga

O Primeiro Comando da Capital (PCC) prepara desde janeiro do ano passado um plano para resgatar Marcos Camacho, o Marcola, e outros três integrantes da facção criminosa da Penitenciária-2 de Presidente Venceslau, no interior de São Paulo, de acordo com o jornal O Estado de S. Paulo. Na fuga seriam usados um avião e dois helicópteros, um deles camuflado com as cores da Polícia Militar, para se passar por um helicóptero Águia. As informações constam em relatório sigiloso das polícias Civil e Militar e do Ministério Público Estadual entregue à Justiça de São Paulo.

Leia também:

Mais temido criminoso do país, Marcola deve deixar a prisão em três anos

Marcola afirma que PCC reduziu a criminalidade em São Paulo

Os quatro bandidos seriam resgatados entre os dias 20 e 23 de fevereiro, segundo a TV Globo. As grades de suas celas já estariam serradas e camufladas. Os quatro seguiriam para o pátio interno do presídio e seriam retirados em um cesto blindado preso a um dos helicópteros. Em seguida, seriam levados para o aeroporto da cidade de Loanda, no Paraná, de onde seriam levados para o Paraguai.

Três integrantes da facção fizeram aulas de pilotagem no Campo de Marte, na zona norte de São Paulo para viabilizar o plano. De acordo com o relatório, o instrutor dos criminosos foi Alexandre José de Oliveira Júnior, copiloto do helicóptero do deputado estadual Gustavo Perrella. Júnior foi preso ao descarregar 450 kg de cocaína de um helicótero do deputado no Espírito Santo no fim do ano passado. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.