Cerca de 3 mil pessoas confirmaram presença. No segundo ato, 262 dos mil participantes foram levados a delegacias

O terceiro ato contra a Copa do Mundo foi marcado para o dia 13 de março, às 18h, no Largo da Batata, zona oeste de São Paulo. O perfil do evento no Facebook, divulgado no domingo (23) registrava 3,5 mil confirmações de presença no início da tarde desta segunda-feira (24).

PM se desculpa e considera operações em protesto em SP "um sucesso"

Todos os detidos em protesto contra a Copa foram liberados

O segundo ato, que ocorreu no sábado (24) e terminou em confronto com a polícia, tinha cerca de 13 mil confirmados. Mil participaram no protesto, segundo a Polícia Militar. Mais de um quarto deles acabou retido e levado a distritos policiais da região central.

O protesto de sábado começou de forma pacífica por volta das 17h na praça da República. Mil policiais foram mobilizados. Eles acompanharam os manifestantes, que ocuparam as ruas aos gritos de "Não vai ter Copa", ao som de batucada, e com performances artísticas, em direção à rua Xavier de Toledo.

Vídeo mostra ação da 'tropa do braço' no protesto:

Confira outros vídeos do protesto no centro de SP

Protesto contra Copa tem quebra-quebra e confronto com a polícia

Ali, o confronto começou. Policiais tentaram isolar black blocs. Houve correria e quebra-quebra. Mascarados atacaram agências bancárias. Quebraram vidros e picharam as fachadas. A polícia lançou bombas de efeito moral e de gás lacrimogêneo. Os integrantes da "tropa do braço" agrediram não só manifestantes, mas também jornalistas. Segundo balanço da PM, cinco policiais ficaram feridos - e dois dos 262 manifestantes detidos.

Veja fotos do protesto:



    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.