Protesto contra Copa em SP teve 230 detidos levados a delegacias, diz PM

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Ato contra Copa no centro da cidade reuniu cerca de mil manifestantes. Balanço inicial da polícia era de 120 detidos

O protesto contra a Copa do Mundo que reuniu cerca de mil manifestantes nas ruas do centro de São Paulo terminou com 230 detidos levados a distritos policiais da região, de acordo com balanço divulgado no fim da noite de sábado (22) pela Polícia Militar.

Protesto em SP tem quebra-quebra e confronto com a polícia

Confira imagens do protesto contra a Copa no centro de SP

Veja fotos do protesto:

Manifestante é detida durante o protesto contra a Copa no centro de São Paulo. Foto: Gabriela Bilo/Futura PressBlack blocs atacam estabelecimentos comerciais no centro de São Paulo. Foto: Gabriela Bilo/Futura PressCerca de cem manifestantes foram detidos, segundo advogado . Foto: Gabriela Bilo/Futura PressAo menos 25 manifestantes detidos no protesto ficaram sentados no chão, em frente ao 78 °DP. Foto: Wanderley Preite Sobrinho/iGProtesto teve cerca de 120 detidos. Parte deles foi liberada ainda no centro. Na imagem, manifestantes levados ao 78° DP. Foto: Wanderley Preite Sobrinho/iGParte dos manifestantes foi levada ao 78° Distrito Policial, dos Jardins. Foto: Wanderley Preite Sobrinho/iGManifestantes em frente ao Theatro Municipal de São Paulo. Foto: Vitor Sorano/iGManifestantes seguiram pelas ruas do centro após o confronto com a polícia. Foto: Vitor Sorano/iGPolícia fecha quarteirão da Xavier de Toledo, onde houve o confronto. Foto: Vitor Sorano/iGPolícia cerca grupo de manifestantes detidos durante o confronto na rua Xavier de Toledo. Foto: Vitor Sorano/iGPM na rua Xavier de Toledo, onde houve confronto. Foto: Vitor Sorano/iGPoliciais militares revistam manifestante detido. Foto: Wanderley Preite Sobrinho/iGBlack blocs depredaram estabelecimentos no centro de São Paulo. Foto: Wanderley Preite Sobrinho/iGManifestantes depredaram agência bancária do centro de São Paulo. Foto: Vitor Sorano/iGPolícia Militar faz cordão de isolamento no centro de São Paulo após tumulto. Foto: Vitor Sorano/iGManifestantes vestidos de preto e mascarados lideraram o protesto. Foto: Vitor Sorano/iGCentenas de manifestantes se reuniram em protesto contra a Copa. Foto: Vitor Sorano/iGCentenas de manifestantes se concentraram na praça da República. 'Pentacampeão, de injustiça e de corrupção', gritavam pelas ruas do centro. Foto: Vitor Sorano/iGCentenas de manifestantes se concentram na praça da República. Foto: Vitor Sorano/iGBlack blocs organizam cordão humano durante protesto. Foto: Vitor Sorano/iGPoliciais militares reforçam segurança no cruzamento da praça da República com a avenida São Luís. Foto: Vitor Sorano/iGOs estudantes Lucas Crivelaro e Willians Mardegan participam do protesto contra a Copa. Foto: Vitor Sorano/iGManifestantes se concentram na praça da República no segundo ato contra a Copa do Mundo (22/02/2014). Foto: Gabriela Bilo/Futura PressCerca de mil policiais reforçam a segurança na praça da República. Foto: Gabriela Bilo/Futura Press"Sem educação, não vai ter Copa", diz um dos cartazes preparados por manifestantes do segundo ato contra a Copa em São Paulo. Foto: Vitor Sorano/iGManifestantes se concentram para o segundo ato contra a Copa na Praça da República, centro de São Paulo (22/02/2014). Foto: Vitor Sorano/iGManifestantes se concentram para o segundo ato contra a Copa na Praça da República, centro de São Paulo (22/02/2014). Foto: Vitor Sorano/iG"Eu gosto de futebol, mas temos que sacrificar nossos gostos. Eu sou contra investimento para maquiar corrupção", diz Beto Fontes (22/02/2014). Foto: Vitor Sorano/iG

Parte deles foi levada ao 78° Distrito Policial, dos Jardins, onde tiveram de aguardar a entrada sentados na calçada, em frenta à delegacia. Ao menos 25 estavam enfileirados no chão por volta das 20h30. Dois deles, feridos, tiveram de passar por atendimento médico antes de seguir para o DP.

Vitor Sorano/iG
"A polícia está sendo muito violenta. será que tinha necessidade?", desabafa a mãe de detido

Um outro grupo foi encaminhado ao 4º Distrito Policial, da Consolação. Por volta das 22h30, a funcionária pública Sonia Anastacio, de 48 anos, aguardava a liberação do filho de 17 anos no local. "Ele me ligou, falou que o tinham pego e estavam trazendo para a delegacia", conta. "Meu desespero é porque falaram que iam para o 78 (distrito para onde comumente têm sido levados os manifestantes) mas eu ligava lá e ninguém atendia", disse.

Um balanço inicial da polícia, logo após o protesto, indicava que cerca de 120 pessoas haviam sido detidas durante confronto com manifestantes no centro, entre elas cinco jornalistas. Parte deles foi liberada no local.

As detenções começaram quando o protesto pacífico, que começou na praça da República, chegou à rua Xavier de Toledo. Policiais tentaram isolar black blocs, que saíram correndo e depredaram estabelecimentos comerciais da região. A polícia lançou bombas de efeito moral e de gás lacrimogêneo. Integrantes da "tropa do braço" - grupo com treinamento em artes marciais-  agrediram manifestantes e jornalistas. Até as 21h30, cinco micro-ônibus da polícia haviam deixado o centro em direção a delegacias da região com manifestantes detidos. Segundo a PM, cinco policiais ficaram feridos.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas