Vidros quebrados, lixo queimado e pichações são a marca do confronto entre policiais e manifestantes que teve 230 detidos

O centro de São Paulo amanheceu com pichações, vidros quebrados e sob fumaça de lixo queimado no confronto entre policiais e manifestantes durante o protesto contra a Copa do Mundo . Houve 230 detidos levados a distritos policiais da região, segundo a Polícia Militar. Ainda segundo a PM, cinco policiais e dois manifestantes ficaram feridos. 

Centro de SP amanhece sob cenário de destruição após protesto
Marcos Bezerra/Futura Press
Centro de SP amanhece sob cenário de destruição após protesto


A manifestação começou de forma pacífica por volta das 17h na praça da República. Cerca de mil pessoas se reuniram no local e seguiram em direção à rua Xavier de Toledo, onde houve confronto. Policiais tentaram isolar black blocs. Houve corre-corre. 

Pichação em frente a agência bancária no centro de São Paulo na manhã após confronto em protesto contra a Copa
Marcos Bezerra/Futura Press
Pichação em frente a agência bancária no centro de São Paulo na manhã após confronto em protesto contra a Copa

Protesto em SP tem quebra-quebra e confronto com a polícia

Confira vídeos do protesto contra a Copa no centro de SP

Bombas de efeito moral e de gás lacrimogêneo foram lançadas contra os manifestantes, que colocaram fogo em lixo, atacaram portas e vidraças de estabelecimentos comerciais da região e jogaram objetos contra os policiais. Integrantes da "tropa do braço" - grupo com treinamento em artes marciais- agrediram manifestantes e jornalistas.

Até as 21h30, cinco micro-ônibus da polícia haviam deixado o centro em direção a delegacias da região com manifestantes detidos. "Vi prisões de forma arbitrária. Não pudemos acompanhar as revistas e houve agressões à imprensa", afirmou o advogado Igor Leone, que presta assistência aos manifestantes.

Veja fotos do protesto:


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.