Número de manifestantes punidos é pequeno, diz comandante da PM de São Paulo

Por BBC Brasil | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Meira rebateu a crítica de ativistas sobre eventual impunidade dos policiais e reclamou da fragilidade da legislação brasileira

BBC

O Comandante-Geral da Polícia Militar do Estado de São Paulo, coronel Benedito Roberto Meira, confirmou que nenhum policial suspeito de abuso na contenção dos protestos iniciados em junho foi punido até o momento.

Leia também:

Nenhum PM foi punido desde junho por incidentes em protestos em São Paulo

Manifestante conta como foi agredido pela PM

Em entrevista à BBC Brasil, Meira rebateu a crítica de ativistas sobre eventual impunidade dos policiais. "Eu também acho muito pouco o número de ativistas que agrediram policiais militares, durante as manifestações, e que até então não foram punidos", disse Meira. O coronel reclamou da fragilidade da legislação brasileira.

Assista ao vídeo:

O Comandante-Geral da PM afirmou que alguns inquéritos de abuso policial foram concluídos na Corregedoria. Mas os dados aos quais a BBC Brasil teve acesso por meio da Lei de Acesso à Informação contradizem Meira.

“Foram instaurados 21 (vinte e um) procedimentos (investigações), os quais estão sendo apurados”, diz, dessa forma, a comunicação oficial da Corregedoria da PM. Os dados foram requisitados à Corregedoria por meio da Lei de Acesso à Informação.

Com os dados em mãos, a BBC Brasil tentou primeiro ouvir a Corregedoria, mas o pedido tramitou no Comando-Geral, que informou à reportagem na última semana que só faria declarações após publicação da matéria.

A BBC Brasil pediu então posicionamento do governador Geraldo Alckmin. Após contato com o seu gabinete, o Comando-Geral da PM ofereceu a entrevista do coronel Meira. Na entrevista, Meira fala sobre a "independência" da Corregedoria e diz ser contra a desmilitarização da polícia.

Leia tudo sobre: manifestaçõesigsp

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas