Em mais um dia de recorde negativo, volume armazenado chega a 19,4% da capacidade, de acordo com a Sabesp

Sistema Cantareira
Divulgação/Sabesp
Sistema Cantareira

O calor e a falta de chuvas continua baixando o nível de água nos reservatórios do Sistema Cantareira, que chegou a 19,4% nesta terça-feira (11), o menor da história, de acordo com a Sabesp. O recorde negativo vem sendo quebrado desde o último fim de semana, ao bater em 19,8% . Na segunda-feira, caiu a 19,6% . A expectativa é que a chuva prevista para esta quarta-feira ajude a afastar o risco de racionamento de água para os cerca de 10 milhões de moradores da Grande São Paulo abastecidos pelo sistema. 

Brasl:  Frente fria que começa a mudar tempo no País chega ao Sul nesta quarta

São Paulo: Chuva deve aliviar calor na quarta-feira

Meteorologia: Tanto tempo com calor e sem chuva é anormal

Para se ter uma ideia, em 2011, nesta mesma época do ano, o nível era de 94,3%; em 2012 era de 74,8% e em 2013, 52,3%. De acordo com a Sabesp, a média histórica de chuvas em todo o mês de fevereiro é de 202,6 mm. No entanto, o acumulado nos primeiros 11 dias deste mês é de 2,1 mm.

A estiagem pode também afeta outros cinco sistemas que integram o complexo de abastecimento da Grande São Paulo, com niveis também em queda. O volume de água verificado nesta terça-feira no Sistema Alto do Tietê foi 41,3 %; no Alto Cotia, 56,7 %; no Guarapiranga, 62,6 %; no Rio Grande, 89,3 %; e no Rio Claro, 91,6 %.

Veja imagens da onda de calor pelo Brasil:

A Sabesp pede para que a população economize água, adotando medidas como tomar banhos mais curtos, usar vassoura em vez de mangueira para limpar quintais e calçadas, acumular as roupas para utilizar a máquina de lavar na capacidade máxima e fechar a torneira enquanto escova os dentes ou faz a barba.

Como incentivo, quem reduzir o consumo de água em 20% receberá desconto de 30% na conta. O volume de água utilizado será comparado com a média do usuário nos últimos 12 meses.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.