SP revela metas para bônus a policiais: "Queremos estancar para depois diminuir"

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Bônus para policiais dependerão da redução de três indicadores: homicídio doloso e latrocínio, roubos em geral, além de furtos e roubos de veículos

O governo de São Paulo vai começar a aplicar o programa de metas e bonificação para as polícias do Estado, voltado para a redução dos principais indicadores de criminalidade. O programa, que foi anunciado no ano passado, vai oferecer um acréscimo no salário de até R$ 8 mil por ano, para cada policial. As metas que começaram a valer neste mês, foram anunciadas nesta segunda-feira (20) para representantes das polícias Militar, Civil e Científica em um seminário no Palácio dos Bandeirantes, na capital.

O programa: São Paulo pagará bônus a policial que reduzir número de crimes

Divulgação
Governador de São Paulo anuncia metas para a redução da criminalidade que podem ser revertidas em bônus para policiais

O secretário de Segurança Pública, Fernando Grella e o governador do Estado, Geraldo Alckmin, convocaram uma coletiva de imprensa para anunciar as metas, que valerão para três indicadores: crimes contra vida (homicídio doloso e latrocínio), roubos em geral, além de furtos e roubos de veículos.

A meta para este trimestre em todo o Estado é que roubos e furtos de veículos fiquem em 57,4 mil ocorrências. “Queremos estancar [os números] para depois diminuir”, disse o secretário. O número de roubos, no período, deve ser de 50,7 mil. Já a meta para a quantidade de vítimas de crimes contra a vida é de 1,27 mil.

Para reduzir os indicadores, as três polícias desenvolverão planos de ações em conjunto e atuarão de forma integrada. Unidades das polícias Civil, Militar e Científica foram agrupadas em áreas de ações compartilhadas, as chamadas AACs.

As metas do Estado foram desdobradas por região e por área de atuação, até chegar à ponta, ou seja, em quem executa o trabalho nas ruas. Uma Companhia da PM, por exemplo, terá sua meta, que será comum ao Distrito Policial correspondente à sua região geográfica e às equipes do Instituto Médico Legal (IML) e do Instituto de Criminalística (IC) que atuam na mesma área.

A definição das metas locais foi feita de acordo com as características de cada região (residencial, comercial ou rural), além de análises comparativa e histórica das ocorrências criminais. Assim, cada área terá um nível de esforço equivalente para atingir as metas. Ou seja, áreas que tradicionalmente têm baixos indicadores criminais terão metas distintas daquelas que têm maiores volumes de ocorrências.

De acordo com o governador, o pagamento aos policiais será feito a cada três meses e as metas poderão também ser revisadas trimestralmente. Além disso, os cinco melhores policiais do estado serão bonificados com R$ 20 mil por ano, cada um. Na hipótese de todos os policiais atingirem as metas, o governo desembolsaria um total de R$ 700 milhões por ano.

Ao ser questionado sobre a possibilidade de fraude na apuração dos dados, o secretário defendeu que haverá automatização da coleta de dados para evitar manipulação. “Estamos bem tranquilos quanto a isso, pois vamos praticar a transparência”, disse. “As situações que tivermos notícias, de irregularidades no registro da ocorrência, certamente serão apuradas e, se for o caso, punidas”, acrescentou.

* Com Agência Brasil

Leia tudo sobre: políciasão paulobônus para policiaisigspalckmin

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas