Intervenção federal para conter rolezinhos não é necessária, diz secretário

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

'Polícia acompanha esses movimentos e só faz intervenção quando há atos de vandalismo', afirmou Grella

Agência Brasil

O secretário de Segurança Pública de São Paulo, Fernando Grella, descartou a necessidade de intervenção federal para conter os rolezinhos nos shoppings da capital paulista, como sugeriu a Associação Brasileira de Lojistas de Shopping (Alshop). “Em termos de segurança pública, [a intervenção] não é necessária”, disse ele.

Conheça a home do Último Segundo

'Se não liberarem, a gente vai acabar fazendo protesto', diz jovem em rolezinho

O secretário reforçou que os encontros de jovens, chamados de rolezinhos, não justificam uma ação policial, nem mesmo a realização de triagens sobre quem pode ou não entrar nos centros de compras. “A polícia acompanha esses movimentos e só faz intervenção quando há atos de vandalismo”, disse.

Leia também:

Rolezinho se expande pelo País com caráter de protesto

Shoppings precisam entender 'pureza' dos rolezinhos, diz Netinho de Paula

"É crueldade de classe tratar rolezinho como arrastão", diz sociólogo

Grella participou hoje (20), junto com o governador Geraldo Alckmin, de um seminário sobre o novo programa de metas e bonificação das polícias do estado. O secretário comentou também a depredação e os saques de ontem (19) ao Supermercado Extra, na zona leste da capital. “No episódio desta noite, houve intervenção da polícia porque não se tratou puramente de um rolezinho. Foram atos de vandalismo, de quebra de ordem, que justificaram a ação da polícia”.

Segundo a PM, o grupo responsável pelos crimes estava revoltado com a interrupção de um baile funk, que terminou após intervenção da polícia.

Leia tudo sobre: rolezinhointervençãosecretárioigsp

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas