Atendimento a famílias ilhadas é prioridade de força-tarefa em Itaóca

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Helicóptero da Polícia Militar levará mantimentos e água para 34 famílias em três comunidades com acesso dificultado por destruição de pontes durante forte chuva

Agência Brasil

O atendimento a famílias ilhadas em razão da chuva que atingiu o município do Vale do Ribeira, no interior de São Paulo, no último domingo (12) será uma das prioridades do trabalho da Defesa Civil nesta quarta-feira (15). Um helicóptero da Polícia Militar (PM) vai levar mantimentos e água para 34 famílias em três comunidades. A ação foi definida em reunião, na noite de terça (14), da força-tarefa montada na cidade, que reúne também órgãos da prefeitura e empresas que prestam serviços de água e luz.

Conheça a home do Último Segundo

Moradores de Itaóca, no Vale do Ribeira, no interior de SP, contabilizam prejuízos e buscam por desaparecidos após enchente. Foto: MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASILTrês localidades tiveram acesso dificultado pela destruição de pontes. Foto: MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASILSegundo a Defesa Civil Estadual aproximadamente 100 casas foram afetadas pelas enchentes. Foto: DivulgaçãoAlckmin em meio aos estragos provocados pela chuva em Itaóca. Foto: Divulgação/Governo do Estado de São PauloEstragos provocados pela chuva em Itaóca. Foto: Divulgação/Governo do Estado de São PauloMunicípio foi atingido por enchentes e inundações na noite de domingo e a madrugada de segunda-feira. Foto: DivulgaçãoItaóca. Foto: Reprodução

“É importante esclarecer que eles não estão isolados. Têm acesso às comunidades por terra, mas é um percurso difícil, principalmente com coisas mais pesadas, como cestas básicas”, explicou o coordenador da Defesa Civil Estadual, coronel Aurélio Alves Pinto. Serão atendidas três localidades, que tiveram o acesso dificultado pela destruição de pontes: Martins, que tem 22 famílias; Boavas, com duas; e Serrinha, com dez famílias. Ele explica que a demanda mais urgente é água, tendo em vista que a enxurrada deixou a água do rio imprópria para uso doméstico.

Prejuízo: 'Vamos ter que começar do zero', diz vítima de enxurrada em Itaóca

Alckmin: Inundação que matou ao menos dez em Itaóca foi caso excepcional

Outra prioridade hoje é a reinstalação de uma ponte no bairro José Valério. Segundo a Defesa Civil, além de permitir o acesso a oito dos 18 bairros de Itaóca, o conserto vai permitir que a energia elétrica chegue a 100% das localidades. Cerca de 20% da cidade ainda não tiveram o serviço restabelecido. O fornecimento de água, por sua vez, ainda é precário. A previsão é que, amanhã à tarde, o serviço retorne no perímetro urbano.

Terá continuidade o trabalho de limpeza das ruas, agora com o recolhimento dos entulhos que estão sendo retirados das casas. “Uma parte da lama foi tirada das ruas. As pessoas começam a limpar o interior das casas e as ruas ficam cheias novamente. Mas essa é uma segunda etapa do trabalho”, esclareceu. Em relação à limpeza, o trabalho para a retirada dos entulhos da ponte do centro continua, mesmo com a desobstrução feita ontem, que possibilitou o retorno do rio ao curso normal.

Além do trabalho de assistência às famílias, de restabelecimento dos serviços e de limpeza da cidade, as buscas pelos desaparecidos permanecem. Segundo o Corpo de Bombeiros, 51 agentes fazem parte da operação, que conta ainda com quatro cães farejadores, além da PM.

Leia tudo sobre: igspchuvaenchenteitaócasão paulobrasil

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas