Haddad veta lei que proibia baile funk

Por Agência Estado |

compartilhe

Tamanho do texto

Proposta era de multa de R$ 2.500. Bairros na periferia da capital paulista seriam os mais afetados pelo projeto

Agência Estado

Facebook/Reprodução
Baile funk em São Paulo

O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), vetou nesta quarta-feira (8) lei aprovada pela Câmara Municipal em dezembro que proibia a realização de bailes funk até em espaços privados como estacionamentos e postos de gasolina. O projeto é de autoria dos vereadores Conte Lopes (PTB) e do Coronel Camilo (PSD).

Conheça a home do Último Segundo

Cada vez mais populares na periferia da cidade, os bailes funk seriam os maiores afetados, por isso o projeto na Câmara acabou associado ao estilo musical. “As ligações ao Copom [Comando de Operações da Polícia Militar] aumentam em 10 mil entre sexta e domingo por conta de eventos como esses”, garante o vereador Camilo.

Assista: Bailes funk paulistas são embalados a álcool, drogas e sexo

Veja também: PM é agredido a pauladas em baile funk

A proposta era de multa de R$ 2.500 para quem organizasse o baile. Ainda de acordo com o texto, a realização de eventos ao ar livre estaria condicionada à autorização da prefeitura, que teria de garantir que o barulho encerrase às 22h e que os realizadores respeitassem os níveis de ruídos estabelecidos por zoneamento.

A fiscalização ficaria a cargo dos agentes das subprefeituras, com apoio da CET, Guarda Civil Metropolitana (GCM) e das policias Militar e Civil. “Não sou contra nenhum tipo de manifestação popular”, assegura o vereador. “Mas acredito que uma cidade organizada proporciona melhores condições de vida a todos. Não é aceitável que algumas pessoas tirem o direito de descanso de centenas de outras.”


Leia tudo sobre: GERALbaile-funkprojeto de leiFernando HaddadCâmara Municipaligsp

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas