Padrasto de Joaquim é transferido para a prisão de Tremembé

Por Agência Estado |

compartilhe

Tamanho do texto

Para a polícia, Guilherme Longo teria matado a criança com uma dose excessiva de insulina e jogado o corpo na água. A mãe também responde pelo crime de omissão

Agência Estado

Guilherme Longo, padrasto do menino Joaquim Ponte Marques, morto no mês passado, foi transferido na tarde desta segunda-feira (6) da Delegacia Seccional de Barretos (SP) para a Penitenciária de Tremembé (SP). Ele, que teve a prisão preventiva decretada, vai completar nesta semana dois meses atrás das grades sob a acusação de matar o garoto de 3 anos.

Conheça a home do Último Segundo

Presa de novo, mãe de Joaquim lê e fuma sem parar

Padrasto alega inocência: 'Estou preso por um crime que não cometi'

Futura Press
Policiais civis fazem reconstituição com o padrasto de Joaquim, Guilherme Longo, nesta sexta-feira

Natália Longo também seria transferida, mas foi aceito o pedido da defesa para que continue na Cadeia Pública de Franca (SP), cidade localizada a apenas 50 quilômetros de São Joaquim da Barra (SP), onde reside sua família. Ela voltou para a cadeia no último sábado, 4, por decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo, que nesta segunda negou um habeas corpus para que seja solta.

Suspeita

O casal é acusado pela morte de Joaquim ocorrida no Jardim Independência em Ribeirão Preto. O menino sumiu de casa no dia 5 de novembro e cinco dias depois apareceu boiando no Rio Pardo. Para a polícia, o padrasto teria matado a criança com uma dose excessiva de insulina e jogado o corpo na água. A mãe também responde pelo crime porque teria sido omissa no caso.

Leia tudo sobre: GERALcaso JoaquimSão PauloJoaquimmenino Joaquim

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas