Sem estrutura e por questão religiosa, SP veta enterro de animais em cemitérios

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Projeto de lei aprovado na Câmara Municipal permitiria que animais fosse sepultados em cemitérios de São Paulo

O Diário Oficial do Município de São Paulo desta terça-feira (17) trouxe a publicação do veto do prefeito Fernando Haddad ao projeto de lei, de autoria do vereador Roberto Trípoli (PV-SP), que permitiria o sepultamento de animais nos mesmos jazigos onde são depositados restos humanos de parentes dos seus donos, em cemitérios municpais.

Conheça a home do Último Segundo

O veto já havia sido informado pelo prefeito de São Paulo após apelo de entidades religiosas. A prática faz com que donos de cães paguem até R$ 3 mil pelo sepultamento de animais em cemitérios especializados. Veja abaixo as imagens de um deles:

Velório de um cachorro no Pet Memorial, em São Bernardo do Campo, região metropolitana de São Paulo. Foto: Renan Truffi, iG São PauloDonos do animal se despedem do cachorro no velório. Foto: Renan Truffi, iG São PauloVelório no Pet Memorial, em São Bernardo do Campo. Foto: Renan Truffi, iG São PauloExemplos de urnas que podem guardar as cinzas dos animais. Foto: Renan Truffi, iG São PauloCinerário do Pet Memorial, onde as cinzas dos animais podem ficar guardadas. Foto: Renan Truffi, iG São PauloCinzas de animais no cinerário, em São Bernardo do Campo. Foto: Renan Truffi, iG São PauloOs animais também podem ser lembrados em fotos. Foto: Renan Truffi, iG São PauloUrna que pode ser guardada as cinzas dos animais. Foto: Renan Truffi, iG São PauloOutra urna onde podem ser guardada as cinzas dos animais. Foto: Renan Truffi, iG São PauloTambém há uma urna ecologicamente adequada para guardar as cinzas dos animais. Foto: Renan Truffi, iG São PauloOutros formatos de urnas funerárias. Foto: Renan Truffi, iG São Paulo

De acordo com o veto assinado pelo prefeito, a implementação da proposta acarretaria a necessidade de "adoção de inúmeras providências por parte dos cemitério municipais, consistentes na adaptação de sua estrutura física, disponibilzando de recursos administrativos, burocrátio e operacional indispensáveis à realização e documentação dessa nova atividade. Toda essa gama de providência importariam, com toda certeza, expressivo custo ao Erário Municipal, não contando a medida, entretanto, com a indipensável indicação de recursos para fazer frente às novas despesas".

A publicação ainda coloca como razões do veto questões religiosas e a escassez de vagas nos serviço funerário municipal. Segundo o texto, "o sepultamento de animais nos cemitérios poderia significar, à grande parcela da população, desrespeito a tradições e preceitos religiosos arraigados, a ensejar, inclusive, conflitos adminitrativos e judiciais por parte dos concessionários que adquiriram jazigos nos cemitérios em que a prática viesse a ser adotada".


Leia tudo sobre: enterro de animaisvetosão pauloigsp

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas