Estudo divulgado na semana passada revela que táxis atrapalham o deslocamento dos coletivos nos corredores

Agência Estado

O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), adiou para 2014 a decisão sobre a permanência dos taxistas nos corredores de ônibus da capital paulista. Haddad afirma que o posicionamento será dado em janeiro, após reuniões com a sociedade. "Vamos chamar uma reunião do Conselho da Cidade e do Conselho Municipal de Transporte para apresentar os estudos porque nós não queremos tomar nenhuma decisão sozinhos a esse respeito", disse, nesta segunda-feira (16). "Os taxistas podem ficar tranquilos que não vamos tomar nenhuma decisão ou para incluí-los ou para excluí-los dos corredores sem ouvir a sociedade, a decisão vai ser tomada depois de um amplo debate."

Conheça a nova home do Último Segundo

Taxistas protestam pelo direito de usar as faixas exclusivas

Táxis protestam contra faixas de ônibus perto do Aeroporto de Congonhas, em São Paulo
Luiz Claudio Barbosa/Futura Press
Táxis protestam contra faixas de ônibus perto do Aeroporto de Congonhas, em São Paulo

Um protesto de taxistas percorreu na manhã desta segunda-feira vias das regiões central e sul da capital. Os dois sindicatos da categoria na cidade, no entanto, não endossam o ato e afirmam que a adesão ao movimento é pequena. Grupo saiu do Pacaembu, na região central do município pela manhã e chegou à Prefeitura às 12h20.

Por volta das 9h50, a carreata ocupava duas faixas da avenida Rubem Berta, sentido aeroporto de Congonhas, na zona sul, provocando lentidão. Antes, os manifestantes percorreram as avenidas Doutor Arnaldo e Paulista e as ruas Cubatão e Tomas Carvalhal, além da avenida 23 de Maio. A carreata chegou ao aeroporto por volta das 10h10 e se dirigiu ao centro da cidade pelo Corredor Norte-Sul. Às 12h20, o comboio chegou à Prefeitura de São Paulo, destino final do protesto.

Mais:

Haddad lança plano de metas com 150 km de corredores de ônibus

'Vamos aumentar a velocidade do ônibus e diminuir a do carro em SP', diz Tatto

Faixa exclusiva quase dobra velocidade de ônibus no Corredor Norte-Sul no 1º dia

A concentração, de acordo com a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), foi perto da Rua Major Natanael, no Pacaembu, região central. Cerca de 50 taxistas participavam da ação, segundo a CET. Nem o Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores nas Empresas de Táxis no Estado de São Paulo (Simtetaxis) nem o dos Taxistas Autônomos de São Paulo (Sinditaxi-SP) apoiaram a carreata.

Fontes dessas duas entidades afirmaram que, embora os taxistas paulistanos tenham reivindicações do poder público (como a expedição de mais alvarás, a permissão para o uso das faixas exclusivas de ônibus e a tentativa de fazer com que a administração municipal não os proíba de circular nos corredores exclusivos), não recomendam nenhuma manifestação, uma vez que ainda estão em diálogo com a Secretaria Municipal dos Transportes e com representantes da Câmara Municipal.

Corredores

Nesta terça-feira (17), o secretário municipal dos Transportes, Jilmar Tatto, deve encontrar-se com o promotor de Habitação e Urbanismo Maurício Ribeiro Lopes para discutir o futuro dos táxis nos corredores de ônibus. Um estudo encomendado pela Promotoria ao Poder Executivo municipal e divulgado na semana passada revela que esses automóveis atrapalham o deslocamento dos coletivos nos corredores, que ficam à esquerda da pista.

Lopes analisa o estudo encaminhado pelo Executivo municipal. Até o momento, não tomou nenhuma decisão, mas disse estar inclinado a pedir a retirada dos carros dos corredores. Já nas faixas exclusivas, situadas à direita, os taxistas nunca puderam usar, desde que foram lançadas pelo Palácio do Anhangabaú. Nesta segunda-feira, a cidade atinge a marca de 290 quilômetros de faixas só para os ônibus, perto da meta da gestão Fernando Haddad para o setor.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.